Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/08/17 às 11h39 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Estratégia Saúde da Família avança na Região Centro-Norte

Novo modelo inclui atendimento especializado e atenção proativa 

BRASÍLIA (14/8/17) – Os 39% de cobertura do Estratégia Saúde da Família (ESF) na Região Centro-Norte atingidos atualmente representam um salto significativo em relação ao 1,6% verificado no início do processo de conversão ao novo modelo de atenção, iniciado há quatro meses. “A evolução para o sistema recente está se dando da melhor forma possível, à medida que os servidores e usuários vão se inteirando sobre o tema e percebendo as suas vantagens”, relata a diretora de Atenção Primária da Região de Saúde Centro-Norte, Rosânia Araújo Medeiros.

A avaliação é compartilhada por Geandro de Jesus Dantas, gerente da Unidade Básica de Saúde (UBS) 4, da Vila Planalto – onde já foram instaladas as quatro equipes necessárias para propiciar 100% de cobertura da sua área de abrangência, estimada em cerca de 14 mil pessoas. “No início do processo de cadastramento havia muitas dúvidas e uma certa resistência das pessoas, mas, quando passam a compreender que haverá melhoria na prestação dos serviços, o nível de colaboração melhora bastante”, diz o gerente da UBS.

Além das quatro equipes do Estratégia Saúde da Família – integradas por médico, enfermeiro e dois técnicos de enfermagem, cada, a UBS 4 também dispõe de duas equipes de saúde bucal. O atendimento odontológico na Vila já está sendo desenvolvido de forma proativa, como deverá ocorrer em todo o DF, em consonância com o avanço do novo modelo de atendimento. “As equipes prestam assistência às escolas e creches e, quando identificam qualquer problema, já encaminham a criança para tratamento agendado, evitando-se o agravamento do quadro”, explica Dantas.

INTEGRAÇÃO – A aproximação com a comunidade e o conhecimento detalhado dos seus indicadores de saúde são alguns dos pilares do Estratégia Saúde da Família, determinantes para a prevenção de enfermidades. O perfil demográfico da Região de Saúde Centro-Norte (Asa Norte, Cruzeiro e Lago Norte), por exemplo, vai exigir das equipes do programa ações específicas, pois cerca de 70% dos seus habitantes estão situados na faixa etária acima dos 25 anos.

“Com o conhecimento das situações locais, poderemos agir com mais objetividade. No nosso caso específico, promover intervenções direcionadas para dar resposta às doenças crônicas do adulto – o maior desafio do mundo moderno”, pondera Rosânia Medeiros. Uma das ações já em curso na região foi a implantação do Centro de Atendimento Especializado em Diabetes, Obesidade e Hipertensão (Cedoh), na 208 Norte – unidade de apoio já instalada, que prestará atenção mediante encaminhamento das UBS, nesse caso, incluindo também a demanda da Região de Saúde Centro-Sul, totalizando um público de 22 mil pessoas.

“Medidas similares a essa, amparadas pela reorganização do sistema, do cadastramento de cada família, permitirão grandes avanços nas ações preventivas, especialmente em relação às doenças crônicas que, quando não tratadas adequadamente em tempo, produzem sequelas para o indivíduo, transtornos para a família e altos custos para a sociedade, que podem ser evitados com a abordagem no momento preciso”, esclarece a diretora.

No rol de ações previstas para dar suporte ao Estratégia Saúde da Família, a UBS da Vila Planalto funcionará também como centro de referência para a Região de Saúde Centro-Norte, passando a atuar como “cenário de ensino em atenção primária”, em apoio à formação e qualificação de servidores e docentes da área de saúde. “Ganha a região como um todo e a população local, que terá uma unidade de atendimento cada vez mais qualificada”, prevê Rosânia Medeiros.

Confira aqui as fotos.