Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/10/12 às 18h15 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Estratégias de enfrentamento da Tuberculose/Aids

 

Apesar da diminuição da incidência de tuberculose na população brasileira, alguns segmentos concentram o maior número de casos, como por exemplo as pessoas com HIV/AIDS. Neste sentido, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), promove, nesta quinta-feira (25), no auditório do Hotel San Marco, o Seminário de Gestão e Ações Integradas de Controle da Coinfecção TB/HIV.

O evento conta com o apoio da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde, e tem por objetivo promover discussões e propor estratégias de enfrentamento no controle da coinfecção TB/HIV no DF. Na programação, estão previstos debates, oficinas e palestras ministradas por especialistas na área de tuberculose no Brasil.

De acordo com dados do Ministério da Saúde (2011), a epidemia de HIV/AIDS nos países endêmicos para tuberculose tem ocasionado aumento considerável de casos de tuberculose pulmonar com baciloscopia negativa e formas extrapulmonares. Embora os casos de baciloscopia negativa tenham menor importância na cadeia de transmissão da tuberculose, as pessoas infectadas com HIV/AIDS, por serem imunocomprometidas, apresentam mais reações adversas aos medicamentos e têm maiores taxas de mortalidade agravadas pelo diagnóstico tardio dessas formas.

De acordo com a chefe da Gerência de Doenças Crônicas e Outros Agravos Trasmissíveis da Divep, Rosa Nancy, diante de tal problemática, tornam-se necessárias iniciativas direcionadas ao controle da coinfecção TB/HIV, a partir da integração dos programas de controle da tuberculose e DST/AIDS, e busca da qualidade do atendimento. Esses são os principais pontos a serem abordados no Seminário, segundo ela.

“Para melhorar nossos números, passamos a buscar em que grupos a incidência da tuberculose era mais alta. E dentro desses grupos, identificamos as pessoas com HIV/Aids como as mais vulneráveis. Por isso, o nosso foco são essas pessoas. A tuberculose é a primeira causa de óbito entre pacientes com Aids.

“A tuberculose é a primeira causa de óbito entre os pacientes diagnosticados com HIV/Aids. Por isso, o nosso foco são os portadores da doença, pois estão mais vulneráveis à tuberculose. Precisamos discutir estratégias de acolhimento a essas pessoas e preparar adequadamente nossos centros de saúde para que o tratamento seja feito de imediato”, salienta Rosa.

O Seminário Gestão e Ações Integradas de Controle da Coinfecção TB/HIV acontece das 08h às 12h30 e está aberto a todos. O Hotel San Marco fica no Setor Hoteleiro Sul (SHS), Quadra 5, Bloco C – Ao lado do Pátio Brasil Shopping. Mais informações pelo número 3905-7911.

Hugo Mendes