Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/10/21 às 17h30 - Atualizado em 1/10/21 às 17h40

Gabinete de Crise acompanha ações para melhora da saúde pública

Reuniões ocorrem com gestores da Administração Central e superintendentes e diretores das Regiões de Saúde

 

JURANA LOPES I EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA I DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Entre as ações estratégicas e providências tomadas pelo secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, em seus primeiros dias como titular da pasta, está a criação de um Gabinete de Crise. O objetivo é identificar problemas e encontrar soluções, a curto prazo, diretamente com os gestores de cada área da Secretaria de Saúde.

 

General Pafiadache durante reunião do Gabinete de Crise – Foto: Geovana Albuquerque/Arquivo SES

O Gabinete de Crise reúne-se diariamente para acompanhar desde os processos de aquisição de insumos até questões relacionadas à infraestrutura e contratos de manutenção, entre outros. Tudo de modo a permitir o abastecimento contínuo e garantir o cuidado ao usuário de maneira ininterrupta.

 

Já a reunião com todas as equipes da ponta em que estarão presentes os superintendentes e diretores das Regiões de Saúde ocorrerá uma vez por mês. Dessa forma, toda a rede estará ciente do andamento dos processos e participará ativamente dessa organização.

 

Reunião com superintendentes e diretores

 

Na última quarta-feira (29), o general Manoel Pafiadache promoveu a primeira reunião do Gabinete de Crise reunindo todos os gestores. “Para mim, não há problema que não possa ser resolvido quando se trabalha em grupo e em equipe. O Gabinete de Crise foi criado justamente para que, juntos, possamos buscar soluções e somar esforços de todas as áreas para resolver os problemas que têm ocorrido ultimamente”, destacou Pafiadache.

 

Superintendentes regionais de Saúde e diretores participaram da reunião – Foto: Geovana Albuquerque/Arquivo SES

Segundo o gestor da pasta, é extremamente importante reunir os sete superintendentes para que todos possam expor as realidades de cada região de saúde e, se houver qualquer tipo de necessidade, uma região ajuda a outra, o que é o símbolo de humanidade e fraternidade.

 

Entre as pautas discutidas estavam questões relacionadas ao contrato com a empresa prestadora de serviços de limpeza BRA Serviços, as dificuldades na compra de insumos básicos para a assistência, como luvas e máscaras, além de questões sobre o uso de Programa de Descentralização Progressiva de Ações de Saúde (PDPAS), o cartão para gestores da saúde e o Trabalho em Período Definido (TPD).

 

“Buscamos caminhos para fortalecer a captação de recursos humanos, envolvendo os colaboradores, para que isso resulte em produtividade e melhor assistência à população”, afirmou o gestor.