Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/12/12 às 20h17 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

GDF adere ao Programa do Governo Federal “Crack é possível vencer”

COMPARTILHAR

Saúde é destaque com a construção de CAPS-AD e unidades de acolhimento

O governador Agnelo Queiroz e a ministra de Desenvolvimento Social, Tereza Campelo, assinaram nessa sexta-feira (07), no Palácio do Buriti, o termo de adesão do Governo do Distrito Federal ao Programa Crack é Possível Vencer, do Governo Federal. “O marco inicial deste programa no DF foi a criação do Comitê de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas, com a participação de 15 Secretarias do GDF, em maio do ano passado”, disse o governador ao falar sobre todas as medidas colocadas em prática desde então.  

A ministra de Desenvolvimento Social destacou as ações do  GDF no combate as drogas  a partir da criação do Comitê e anunciou a liberação de R$ 42 milhões para investimentos no Distrito Federal. “Assinamos um pacto que parte de uma base já estruturada com o GDF o que viabiliza a  consolidação efetiva para alterar a realidade no que diz respeito ao uso e tráfico de drogas no Distrito Federal”, ressaltou Tereza Campelo.  Na avaliação da ministra, o consumo de drogas é um problema de saúde pública e o governo tem que atuar de forma inovadora para resolvê-lo.

Durante a solenidade, o secretário de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania, Alírio Neto, elogiou o esforço da Secretaria de Saúde desde a implantação do Comitê de Enfrentamento ao Crack e Outras Drogas. “O que mais se cobra é a oferta de estrutura para recuperação dos usuários de drogas e a Secretaria de Saúde passou a oferecer atendimento 24 horas em várias unidades”, disse o secretário ao informar que nos últimos meses quatro Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS – AD) passaram a funcionar 24 horas em Ceilândia e Samambaia.

E os investimentos da Saúde visando o combate às drogas continuam.  No início do ano serão inaugurados três novos CAPS – AD, além de outros dois que passam por reformas e mais cinco unidades de acolhimento. Os novos CAPS, em fase final de construção e instalação de equipamentos, funcionarão na Asa Norte, Asa Sul, Taguatinga, Ceilândia e Samambaia, onde também estão sendo construídas unidades de acolhimento.  No DF existem atualmente 14 CAPS, sendo sete especializados em álcool e drogas – seis para atendimento a adultos e um para crianças e adolescentes.

As unidades de acolhimento prestarão assistência para pessoas com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas. O objetivo é garantir o acolhimento voluntário e ofertar cuidados contínuos para pessoas em situação de vulnerabilidade social e familiar e que demandem acompanhamento terapêutico e proteção. “A unidade destina-se a pessoas que tem necessidade de sair do circuito das drogas”, afirma o diretor de Saúde Mental da Secretaria de Saúde,  Augusto Cesar Faria.

As unidades de acolhimento proporcionam aos dependentes de drogas a reconstrução de seus projetos de vida num ambiente residencial, trabalhando em parceria com outros serviços de assistência em saúde mental. Para desenvolver esse trabalho integral cada unidade deve estar vinculada a um Centro de atenção Psicossocial Álcool e Drogas III (que funcionam 24 horas).

Programa – A adesão ao pacto do Governo Federal vai garantir ao DF mais recursos financeiros para investimentos em ações preventivas, capacitação e ampliação da rede de assistência ao dependente químico.  A secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, ressaltou a mudança de atitude do Governo no combate ao tráfico e consumo de drogas. “Antes o enfoque era voltado para a segurança pública. Era um enfoque equivocado porque não adianta mais encher presídios de usuários de drogas. Essas pessoas perdem a chance de recuperação ao entrar no presídio e ter contato com as organizações criminosas. O usuário de drogas precisa refazer seu projeto de vida e cabe aos gestores dar essa chance ao indivíduo”, enfatiza a secretária.

Ainda durante a solenidade no Palácio do Buriti o governador Agnelo Queiroz assinou o ato de nomeação de 500 servidores que irão atuar em diversas áreas do Programa “Crack é Possível Vencer”. O GDF também anunciou a instalação de 800 câmeras de monitoramento no Plano Piloto, Taguatinga e Ceilândia, a instalação de bases móveis de policiamento em vários pontos que terão o apoio de duas motocicletas, microônibus e policiamento treinado.

Segundo Alírio Neto, desde o ano passado 25 mil profissionais do GDF foram capacitados para atuar no combate às drogas, mais de 60 mil jovens tiveram acompanhamento e orientação,  além da internação de usuários de drogas em unidades de saúde. Também foram distribuídos dois milhões de panfletos em postos de combustíveis com informações sobre os prejuízos das drogas, realizadas 900 palestras e 158 apresentações teatrais em escolas, além da criação de 90 vagas em comunidades terapêuticas.  Merece destaque, ainda, a participação nos últimos dois anos de 84 mil alunos de escolas públicas e particulares no Programa de Erradicação das Drogas – PROERD.