Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/06/13 às 12h35 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Gestores da regional de Saúde do Guará participam de Oficina em Controle de Infecção

COMPARTILHAR

O Núcleo de Controle de Infecção Hospitalar realizou sua primeira Oficina de trabalho para sensibilizar os gestores quanto às atribuições do núcleo e sua extensão. Além disso, a oficina reforçou ao participante o papel de cada agente na realidade do controle de infecção e sua responsabilização nas ações de prevenção. O encontro possibilitou a troca de conhecimento teórico e prático, onde o profissional pode expor a sua realidade.

Conforme destacou Eulina Ramos, instrutora na Oficina, o NCIH passa por várias áreas composta, por exemplo, pela Atenção Básica, odontologia, área médica, enfermagem, fisioterapia, área administrativa, farmácia, nutrição, laboratório, radiologia entre outras. “As boas práticas de prevenção tem que estar presentes em todas as áreas e isso começa no ato de lavar as mãos. No cuidado com você mesmo. O jaleco, luvas, aventais e, principalmente, a nossa mão, são propagadores de bactérias”, afirma.

Para exemplificar, a chefe do Núcleo de Nutrição e Dietética, Rosemary Pereira, mostrou os procedimentos adotados nessa área e apresentou os resultados da visita técnica. Em janeiro deste ano, o NCIH fez um relatório situacional e apontou os problemas e as inadequações existentes. Nessa visita, 56 itens foram apontados como irregulares. Atualmente, restam apenas quatro adequações. Lactário, refeitório, os ambientes de acondicionamento de alimentos, entre outros, sofreram ajustes. Rosemary destacou que não foi uma tarefa fácil. “Nesse processo foi realizado um plano de ação que envolveu outros setores e negociação. Foi preciso também fechar parcerias para chegar a um objetivo comum que é a qualidade no serviço”, assegurou. 

Nesse ambiente de aprendizagem e exposição, os participantes tiveram dinâmica em grupo onde puderam falar dos conceitos em Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS) e das necessidades enfrentadas em seu dia-a-dia. Malba Maia, participante da oficina e servidora do Centro de Saúde nº 04 do Guará, elogiou a iniciativa. “Esse trabalho é um despertar para questões pontuais do nosso serviço. Os profissionais que estão fora do nível hospitalar ficam um pouco adormecidos quanto a essas questões. Além das discussões atualizadas, a dinâmica adotada foi bem interessante porque trouxe debate. Os centros de Saúde também possuem pontos vulneráveis. A sala de curativos é um deles”, afirmou. 

Durante a oficina, foi apresentado também o relatório trimestral de 2013 do NCIH em que mostrou que o Hospital do Guará está numa situação segura em relação às infecções. Para Svetlânia Carvalho, chefe do NCIH, a oficina é essencial para que o setor e os profissionais tenham a real noção sobre o trabalho que está sendo realizado. “Além dos conceitos, é importante mostrar que o Núcleo é um parceiro e um supervisor que está na estrutura para ajudar. Nosso trabalho é apontar o que não está legal para evitar que pacientes sofram com algum tipo de infecção causada pela conduta inadequada dos profissionais”. Svetlânia destacou ainda que o objetivo é sensibilizar o profissional tanto das Unidades Básicas de Saúde quanto do Hospital sobre o que é IRAS, a prevenção e as ações realizadas. Essa foi a primeira oficina de 2013. No segundo semestre também está programa outra atividade como essa.

Érika Bragança