Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/01/19 às 12h46 - Atualizado em 21/01/19 às 11h06

Governador visita obras do prédio que receberá aparelho de radioterapia no HRT

COMPARTILHAR

 

 

As obras do prédio onde será instalado um novo acelerador linear, destinado a atender pacientes com câncer e que precisam de radioterapia, foram visitadas, na manhã deste sábado (19), pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, e pelo secretário da Saúde, Osnei Okumoto.

 

“Esta é a segunda unidade que será instalada.  A outra está no HUB (Hospital Universitário de Brasília). A previsão de entrega é de 10 meses e vai atender de 60 a 80 pessoas por dia, o que absorve quase toda a carga. Segundo cálculo do Ministério da Saúde, é necessário ter uma máquina dessas para cada 500 mil habitantes, que é, mais ou menos, o que nós temos, quando você une Samambaia, Taguatinga e Ceilândia. Com mais uma ou duas máquinas dessas, teremos atendimento para toda a população do DF”, afirmou Ibaneis.

 

A construção, de 860 m², está sendo erguida no terreno ao lado do Hospital Regional de Taguatinga, numa área de 3.091 m². A iniciativa faz parte das ações do SOS DF Saúde para expansão da rede e melhoria no atendimento de alta complexidade.

 

INVESTIMENTOS – O custo total do empreendimento é de cerca de R$ 9,1 milhões, sendo que R$ 3 milhões foram destinados à aquisição do equipamento. Os recursos são provenientes do Ministério da Saúde. “Essa obra faz parte da expansão do Hospital Regional de Taguatinga, que já tem quase todas as especialidades e é quase autossuficiente”, explicou o secretário Osnei Okumoto.

 

A construção começou no último dia 8 e deve ser entregue em novembro deste ano.  Outros 60 dias serão necessários para instalar o acelerador linear. Ao todo, quatro empresas fazem parte do empreendimento, fruto de uma parceria entre a Secretaria de Saúde do DF e o Ministério da Saúde.

 

Atualmente, não há, no DF, pacientes classificados como vermelho e amarelo aguardando por tratamento de radioterapia.  Existem apenas 33 pessoas, classificados como azuis, esperando pelo procedimento na fila, sendo que as solicitações mais antigas são datadas de 3 de dezembro de 2018.

 

A rede pública de saúde do DF conta com um acelerador linear no Hospital Universitário de Brasília e mais dois aparelhos de radioterapia no Instituto Hospital de Base (IHB).

 

 

No DF, a primeira consulta é feita na Unidade Básica de Saúde (UBS), que solicita exames e encaminha o paciente para atendimento especializado. Os tratamentos com quimioterapia e radioterapia são realizados no Instituto Hospital de Base e Hospital Regional de Taguatinga, na rede pública de saúde; no Hospital Universitário de Brasília, por contrato de gestão; e no Hospital Sírio Libanês e Instituto de Radioterapia, via contratualização de serviços.

 

 

Josiane Canterle e Ailane Silva, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

Leia também...