Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/09/15 às 13h46 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Hábitos simples podem aumentar a capacidade funcional na velhice

Entre as vantagens estão aumento de equilíbrio e força muscular

BRASÍLIA (28/9/15) – Elevar a capacidade funcional para ser mais independente na velhice pode ser um objetivo alcançado com hábitos simples. Conseguir realizar atividades como agachar e carregar uma sacola de compras são fatores decisivos para se manter autônomo.

A terapeuta ocupacional do Núcleo Saúde do Idoso da Secretaria de Saúde, Ângela Maria Sacramento, destaca que um estilo de vida ativo pode retardar bastante o processo de envelhecimento. “A realização de atividade física, uma alimentação adequada e a atitude de procurar estar sempre aprendendo coisas novas são fatores que auxiliarão a pessoa idosa a funcionar bem até o fim da vida”, sugeriu a profissional.

PREVINA-SE – Segundo ela, o primeiro passo para a manutenção da vida saudável é a prevenção. Isso inclui evitar o surgimento de doenças e fortalecer o corpo. “Existem cada vez mais evidências científicas apontando o efeito benéfico de um estilo de vida ativo na manutenção da capacidade funcional e da autonomia física durante o processo de envelhecimento”, disse.

A terapeuta cita que uma das formas de fortalecer o corpo é praticando atividade física regularmente. Com isso, são conquistados benefícios importantes como: melhoria do equilíbrio, da força muscular e do desempenho da marcha, que é essencial para locomoção, além de favorecer a manutenção e/ou aumento da densidade óssea.

“Programas de exercícios físicos aumentam significativamente a força muscular, mantendo a composição e o peso corporal e melhorando o equilíbrio. Isso pode diminuir quedas entre os idosos e é uma forma efetiva de prevenção”, destacou.

Outros benefícios elencados por ela com o exercício físico são o aumento do contato social, redução dos riscos de doenças crônicas, saúde física e mental, além da manutenção e melhoria da capacidade funcional. “Isso assegura independência e autonomia, propiciando melhoria na qualidade de vida do idoso”, complementou.

Outras atividades que também interferem na capacidade funcional são as práticas integrativas e demais atividades físicas, como caminhadas, alongamentos e automassagem. “Essas atividades são um meio de combater o sedentarismo e a fraqueza muscular, contribuindo para a redução dos fatores de risco que desencadeiam a osteoporose, por exemplo”, finalizou.

PROGRAMAS – A Secretaria de Saúde oferece serviços à população idosa. São promovidos programas como a Escola de Avós, um encontro que trata da saúde multidisciplinar e realiza atividades como coral, palestras, maquiagem, apresentação de dança e oficinas de artesanato. Há também apoio nos grupos de práticas integrativas, que oferecem automassagem e terapia comunitária.

Basta procurar atendimento na atenção primária, ou seja, nos centros e postos de saúde e unidades básicas. Para quem possui problemas mais graves, é oferecida a especialidade de geriatria em 11 regionais: Ceilândia, Samambaia, Gama, Taguatinga, Guará, Asa Norte, Santa Maria e Paranoá. Há também em Planaltina (centro de saúde 1), Recando das Emas (centro de saúde 2) e Núcleo Bandeirante (centro de saúde 2).