Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/10/12 às 21h20 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

HMIB realiza o II Mutirão de Laqueadura Tubária

A Coordenação Geral de Saúde da Asa Sul realiza o II Mutirão de Laqueadura Tubária, nesta quinta e sexta-feira (18 e 19), no Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), como parte integrante do programa Saúde Para Todos, do Governo Federal. Terão prioridade pacientes que participaram do programa de planejamento familiar e aguardam o procedimento na fila de espera da SES/DF.

No total, foram analisados 400 casos de casais que buscavam o atendimento na Rede Pública de Saúde. As pacientes passaram pela triagem médica e  obtiveram todas as informações referentes ao procedimento.

O II Mutirão de Laqueadura Tubária do HMIB é a continuidade do atendimento prestado às pacientes que participaram de palestras nos  centros de saúde de referência e atendem todos os requisitos preconizados pela Lei  nº 9.263 (12/01/1996), que dispõe sobre o planejamento familiar como sendo o conjunto de ações de regulação da fecundidade que garanta direitos iguais de constituição, limitação ou aumento da prole pela mulher, pelo homem ou pelo casal.

Segundo a dona de casa, Lucélia C. Magalhães, de 35 anos, operada no primeiro mutirão de laqueadura do HMIB, em setembro, ter feito o procedimento foi um alivio. “Há três anos esperava essa cirurgia. Tenho cinco filhos e não tinha condições de ser mãe outra vez, por isso, e eu meu marido participamos das reuniões no posto de saúde. Estamos muito felizes.”, ressalta a moradora do Jardim ABC.

De acordo com o diretor de Atenção à Saúde da Regional, João Rocha Vilela, para  participar do mutirão é fundamental que o casal obedeça  todas as etapas do planejamento familiar e que tenha sido esgotado o uso de outros métodos reversíveis de contraceptivos. “A cirurgia de laqueadura tubária é realizada após cessarem todas as possibilidades de contracepção. O casal necessita preencher todas as determinações legais e ter a consciência da vontade de não mais procriar.”, reflete o ginecologista e obstetra.  

No mutirão é utilizada a técnica “Essure”, que consiste em um novo método de contracepção que esteriliza a mulher, como a laqueadura, mas sem necessidade de cirurgia. Pelo procedimento, é introduzida uma mini-mola com a ajuda de um aparelho chamado histeroscópio pela vagina até o útero, chegando às trompas. O método é rápido, dura em média 15 minutos, sem cortes ou anestesia e a paciente pode retomar imediatamente suas atividades. Nos três meses seguintes à implantação é preciso utilizar outros métodos anticoncepcionais porque só após esse período o organismo absorve a mola e forma uma barreira que impede a passagem de espermatozóide.

No primeiro mutirão de laqueadura do HMIB, foram realizadas 165 cirurgias por uma equipe multidisciplinar composta por especialistas em obstetrícia e ginecologia, anestesistas, enfermeiros, técnicos em enfermagem e administrativos.

Claudete Nascimento