Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/05/18 às 8h10 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Pacientes do São Vicente de Paulo cultivam horta

COMPARTILHAR

Pacientes cuidam da horta no HSVP – Foto: Mariana Raphael

 

Couve, alface, berinjela, bananas. Tudo isso está no “quintal” do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), cultivado pelos próprios pacientes.

 

Além de aproveitarem um espaço antes inutilizado, as atividades servem como oficina terapêutica para usuários da unidade.

 

O trabalho começou há dois meses, com a restauração do espaço: pintura nas paredes, replantio de algumas espécies, criação de canteiros e até de um mini-projeto de paisagismo com materiais reciclados, como calotas, pneus e outras peças de veículos.

 

Abandonado pela família, Renato Carvalho tem participado de todo esse processo. Ajudou na pintura, mexeu na terra para plantar as mudas e diariamente rega aquilo a horta.

 

“Me sinto muito bem quando estou aqui, mexendo na terra, mesmo com o cansaço depois de carregar as coisas”, disse ele, que tem esquizofrenia e doenças crônicas, como hipertensão e diabetes.

 

Atualmente, 12 pacientes participam das atividades. Mas há espaço para pelo menos 30 pessoas.

 

“Escolhemos os pacientes de acordo com o perfil para cada atividade e também depende muito de como estão no dia das atividades”, destaca o residente em nutrição e responsável pelo projeto da horta, Everton da Silva Santos.

 

São dois grupos de atividade. O primeiro, conduzido pela equipe multiprofissional, trabalha, uma vez por semana, a parte ornamental, como a pintura dos pneus que se transformam em grandes xícaras.

 

Já a turma comandada pela equipe de nutrição tem tarefas diárias. “É quando eles colocam a mão na terra, fazem plantio, podam e jogam água”, conta o residente.

 

O objetivo da atividade é, além de oferecer uma distração, levar conhecimento sobre agroecologia.

 

“Mas, com as oficinas, conseguimos que muitos tenham um resgate de memórias da infância, gastem energia e tenham um sono mais tranquilo”, elenca.

 

Uma das propostas para o futuro da horta é introduzir plantas medicinais para que os pacientes façam uso e, assim, diminuam a quantidade de fármacos.

 

Com as atividades, pacientes também aprendem agroecologia – Foto: Mariana Raphael

 

TEXTO: Alline Martins, da Agência Saúde