Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/08/13 às 20h58 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Hospital da Asa Norte registrou 136.437 consultas em seis meses

Começa série de entrevistas com os coordenadores regionais de saúde

A Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Saúde do Distrito Federal apresenta a partir de hoje as ações já executadas e os projetos em andamento para melhorar o atendimento na rede pública, por meio de entrevistas com os coordenadores regionais de saúde. O objetivo é informar sobre os inúmeros serviços e benefícios implementados durante dois anos e meio de trabalho da equipe de Saúde, para atendimento ao usuário.

______________________________

Coordenação Geral de Saúde da Asa Norte

HRAN - CoordenadorA Coordenação Geral de Saúde da Asa Norte atende uma população estimada em 270 mil habitantes. São moradores da Asa Norte, Lago Norte, Vila Planalto, Varjão, Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal, Setor Militar Urbano (SMU), Granja do Torto, Setor Habitacional Taquari, Setor de Indústrias Gráficas (SIG) e Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN). Além destes, 800 mil trabalhadores que circulam no Plano Piloto diariamente também contam com assistência médica no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN)

A rede de Saúde na regional Norte conta com 2300 servidores distribuídos no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), oito centros de saúde, um Centro de Atendimento Especializado (CAE) instalado no Centro de Saúde de Brasília nº 12, um consultório de rua na 903 Sul e uma Equipe de Saúde da Família na Granja do Torto. Também fazem parte da Regional de Saúde Norte o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas Infanto-Juvenil (CAPS adi III) e a Unidade de Acolhimento que hoje funcionam no Adolescentro, na 605 Sul e serão transferidos para a 714/715 Norte.

Somente no HRAN, de janeiro a junho de 2013, foram realizadas 80.983 consultas ambulatoriais, 55.454 de emergência, 2.264 cirurgias eletivas e 611 de emergência.

O atual coordenador-geral de Saúde da Asa Norte, Valdir Nunes de Sousa, é formado em Medicina pela Universidade Federal de Goiás e ingressou na Secretaria de Saúde em 1991, como ginecologista/obstetra no Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Em julho de 2013 foi nomeado coordenador geral de Saúde da Asa Norte.

Na entrevista a seguir, o coordenador-geral da Saúde da Asa Norte fala das propostas para melhorar o atendimento à comunidade, os investimentos e os avanços já alcançados.

ASCOM/SES – Quais são os serviços de referência no HRAN?

Dr. Valdir – O HRAN é referência em clínica médica, cirurgia plástica, cirurgia bariátrica e no atendimento a queimados. O hospital também presta serviço de excelência a pacientes com Síndrome de Down e pacientes com fissuras labiopalatais (conhecidas como lábio leporino, que são malformações congênitas de lábio e palato).

ASCOMS/SES – Quais foram as principais melhorias físicas e os investimentos na aquisição de equipamentos dos últimos dois anos no HRAN?

Dr. Valdir – Como diretor do HRAN, desde 2011, cito a pintura da fachada e corredores; a reforma do pronto-socorro de Clínica Médica; a inauguração do Centro Ambulatorial Especializado no HRAN, com a abertura de 22 consultórios nas especialidades de nefrologia, pneumologia, cirurgia torácica, cirurgia vascular e cardiologia; a reforma da Hemodiálise, do Ambulatório de fissuras labiopalatais e das enfermarias do hospital; reforma e readequação do espaço físico do Centro de Reabilitação, onde antes funcionava apenas a Fisioterapia e após a redistribuição passou a abrigar também a Gastroenterologia/Endoscopia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia e Cirurgia Bariátrica; reforma do Pronto-socorro da Ginecologia/Obstetrícia, incluindo consultórios e sala de observação. O hospital ganhou o Bloco Cirúrgico Auxiliar com quatro salas para pequenas e médias cirurgias ambulatoriais, o Centro de Ensino e Pesquisa, que reúne num mesmo espaço todas as atividades científicas e de estudo do hospital, incluindo as residências médicas, de Nutrição e Enfermagem, além da Biblioteca. Também foram reformados o Núcleo de Nutrição e Dietética, Unidade de Reabilitação e Sono, Reumatologia, Neurologia, Cirurgia Bariátrica, Unidade de Gastroproctologia, Diretoria Administrativa e o Refeitório. Neste ano, o HRAN recebeu 300 camas hospitalares eletrônicas, que estão instaladas nas áreas de internação e no Pronto-Socorro; 51 macas de longa duração; quatro novos aparelhos de hemodiálise e oito elevadores novos. O teto do hospital foi impermeabilizado com manta asfáltica e está em fase de finalização a instalação de alambrado na área que pertence ao hospital. Quanto à Atenção Primária da Regional da Asa Norte, destaco a reforma dos Centros de Saúde de Brasília 12, 13 e 14. Houve ainda a reforma e adequação do espaço onde será inaugurado o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS adi III), na 714/715 Norte.

ASCOM/SES – Que serviços foram criados na atual gestão?

Dr. Valdir – Inauguramos:
• Serviço Multidisciplinar de Tratamento de Fissuras Labiopalatais;
• Centro de Referência Interdisciplinar em Síndrome de Down (CRISDONW);
• Centro de Atendimento Especializado (CAE) para pacientes classificados nas cores verde e azul;
• Bloco Cirúrgico Auxiliar;
• Serviço de Reconstrução Mamária do HRAN;
• Rede Cegonha no HRAN – assumimos os partos da Regional de Saúde do Guará (tanto o pré-natal de alto risco, quantos os partos dessa Regional);
• Atendimento à infância e adolescência no Centro de Atenção Psicossocial (CAPSI) Plano Piloto
• Consultório de Rua, na 903 Sul, vinculado ao Centro de Saúde de Brasília nº11;
• Unidade de Atendimento Inicial (UAI), onde funciona o programa de governo NAI (Núcleo de Atendimento Integrado), que é a porta de entrada dos adolescentes que cometem atos infracionais. Essa unidade da Secretaria da Criança conta com a parceria de diversos órgãos, incluindo a Secretaria de Saúde que disponibiliza um médico, dois enfermeiros e um técnico de enfermagem para atendimento aos adolescentes. A UAI localizada no SAAN está vinculada ao Centro de Saúde de Brasília nº14.

ASCOM/SES – Quais as próximas ações a serem desenvolvidas na Regional?

Dr. Valdir – A atual gestão pretende executar a reforma da Unidade de Queimados e serviços de manutenção tanto na parte ambulatorial quanto nas enfermarias do HRAN, além de finalizar a reforma do Pronto-Socorro para atendimento de grandes eventos, como a Copa de 2014.

ASCOM-SES – Quais os desafios de um coordenador-geral de Saúde?

Dr. Valdir – Os desafios são muitos. O maior deles, na minha opinião, é resgatar a auto-estima dos servidores, resgatar o compromisso e o comprometimento do servidor com a saúde pública. O servidor público tem que estar focado na prestação do serviço à comunidade. Mesmo com as dificuldades que enfrentamos, nosso desafio é conseguir oferecer uma assistência adequada à nossa população e precisamos dos servidores para atingir esse objetivo. Se conseguirmos trazê-los para o nosso lado, eles trabalham mais motivados e mais comprometidos. Em nossa Regional de Saúde, realizamos diversas iniciativas com o intuito de promover a integração entre os servidores, proporcionar momentos de descontração e aproximá-los da atual coordenação, a fim de que tenham um comprometimento maior com a comunidade e compreendam o valor inestimável dos serviços prestados.

 

Histórico do Hospital Regional da Asa Norte

 

O HRAN, projetado pelos arquitetos Oscar Walderato e Roberto Nadalutti, começou a ser construído em 1972,teve as obras interrompidas em 1975 e só foi inaugurado no dia 4 de dezembro de 1984,   com o objetivo de prestar assistência à saúde da população da Asa Norte, Lago Norte, Paranoá, Vila Planalto, Varjão e Cruzeiro. 

Com uma área construída de 42 mil metros quadrados, o HRAN é constituído de seis blocos interligados e oferece atendimento ambulatorial em 27 especialidades médicas, centro cirúrgico e unidade de terapia intensiva, além de prestar assistência em fonoaudiologia, nutrição, odontologia, fisioterapia, terapia ocupacional, serviço social e psicologia.

 Patrícia Kavamoto