Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/05/18 às 18h34 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Hospital de Apoio oferece curso sobre Projeto Redes de Inclusão

 

 

Nesta sexta-feira (4), o Hospital de Apoio recebe o curso de Qualificação de Multiplicadores do Projeto Redes de Inclusão, uma parceria do Unicef e Ministério da Saúde. O evento será realizado, das 8h30 às 12h, na Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), localizada no Setor de Embaixadas Norte, lote 19.

 

O objetivo é capacitar equipes de assistência à saúde e da atenção básica para serem replicadoras do conhecimento para tratamento e cuidado com crianças com síndromes congênitas da Zika e outros transtornos do desenvolvimento.

 

O curso é realizado no auditório do HAB, com participação de profissionais das secretarias de Saúde, Educação e Serviço Social do DF, e dos ministérios da Saúde e do Desenvolvimento Social.

 

“A oficina para estimulação de crianças com alterações no desenvolvimento no ambiente domiciliar e escolar nasceu do anseio e necessidade de lidar com uma nova realidade e o DF se organiza para o atendimento à estas crianças”, disse a coordenadora da Área de Saúde da Criança do Ministério da Saúde, Cláudia Puerari.

 

ABERTURA – Na abertura do curso, em 24 de abril, a subsecretária de Atenção Integral à Saúde, Martha Gonçalves Vieira, ressaltou que o Distrito Federal tem serviços na área materno infantil que conseguem detectar precocemente alguns transtornos de desenvolvimento.

 

“Estas crianças vão para a assistência especializada ou atenção primária e com o aprendizado nestas oficinas, os profissionais poderão desenvolver, junto aos cuidadores, atividades de estimulação”, destacou.

 

Martha Vieira lembrou que iniciativas como a realização deste curso, o Hospital de Apoio dá mais um passo em direção à sua habilitação para se tornar um Centro de Reabilitação (CER).

 

A representante do Unicef, Cristina Albuquerque, recordou que com o surgimento da Zika, em meados de 2015, os profissionais de saúde e as famílias se viram perplexos e sobrecarregados e sem muitas opções de tratamento a longo prazo.

 

Vários segmentos da sociedade e instituições ligadas à saúde nacionais e internacionais se reuniram em Recife (PE). Por meio de rodas de conversas, começaram a traçar diretrizes e protocolos que resultaram no desenvolvimento de metodologias e ferramentas para tratar e inserir as crianças com alterações no desenvolvimento psicomotor.

 

“Os profissionais que participam desta oficina serão multiplicadores para que outros servidores tenham acesso à tecnologia e várias famílias sejam beneficiadas”, esclarece Albuquerque.

 

A coordenadora informou que o Ministério da Saúde tem grande interesse no cuidado com crianças com estes transtornos, principalmente, as com síndromes decorrentes da Zika.

 

Tanto que foi publicada a Portaria 3.502/2017, que destina recursos para municípios e estados para o desenvolvimento de políticas de inserção e compra de kits para estimulação.

 

APOIO – A diretora de Atenção à Saúde do Hospital de Apoio, Maria Cristina Scandiuse, relembrou que o hospital tem 24 anos de funcionamento e continua mantendo sua vocação em reabilitação, tratamento de doenças raras, educação continuada e pesquisa.

 

“A equipe é comprometida e agradece a parceria MS/Unicef. E esta oficina vai estimular os profissionais da assistência a trabalhar e multiplicar o conhecimento”, destaca Scandiuse.

 

Segundo a chefe do Núcleo de Ensino e Pesquisa do HAB, Renata Ferreira D’Ascenção, os profissionais que receberem a capacitação estarão mais preparados para atender na atenção básica e nas equipes de saúde da família.

 

“Os profissionais de saúde vão formar uma rede de multiplicadores, ensinando aos pais essas técnicas, que podem aplicar em casa, de forma que as crianças se desenvolvam de forma melhor, mais rápida e com expectativa de ter uma melhor qualidade de vida”, informou Ferreira.

 

TEXTO: Regina Medeiros, da Agência Saúde