Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/14 às 20h10 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Cirurgia de correção de Orelha de Abano é realizada no HRT

Bulling é a maior causa de procura pelo serviço

O Programa de Ostoplastia do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) realiza correção cirúrgica das orelhas proeminentes, popularmente conhecidas por “orelhas de abano”. O serviço tem como objetivo promover a qualidade de vida, física e psicológica do paciente e ainda ajudá-lo a elevar sua auto-estima. Em junho de 2013, foram inscritos 450 pacientes no programa e na primeira etapa, das 200 crianças, 60 já passaram pelo procedimento.

Na maioria dos casos atendidos pelo programa, o paciente chega ao consultório em tratamento psicológico, por causa da baixa auto-estima, evasão e mau rendimento escolar, com o agravante de ser vítima de bulling, que é a maior causa de procura pelo atendimento.

“Sempre me emociono quando falo de como era triste a vida dos meus três filhos antes da cirurgia. Eles eram retraídos, silenciosos e tinha muita vergonha de conviver com as pessoas. Hoje, após o procedimento, tenho filhos felizes e com a auto-estima elevadíssima, um deles já está trabalhando. Agradeço imensamente ao doutor Jaime e equipe que possibilitou este tratamento”, disse Maria Cândida da Costa, mãe dos pacientes operados no HRT.

Para participar do programa, o paciente inscrito passa pela avaliação clínica com o especialista, que detecta a indicação da correção cirúrgica. Também é considerada a vontade da criança em passar pelo procedimento, pois há casos em que pais da criança querem a cirurgia, mas o paciente não manifesta vontade de ser operado. Neste caso, recomenda-se que o paciente tenha mais idade para opinar o momento certo da cirurgia.

“No período de inscrição do programa tivemos uma grande demanda pelo serviço, realizamos uma triagem rigorosa priorizando os casos mais complexos. Todos os inscritos, crianças e adultos, receberão o atendimento gradativamente”, disse o otorrinolaringologista Jaime Antônio Siqueira.

O especialista ressalta ainda que todos os requisitos do programa estão sendo cumpridos com rigor. “Embora o procedimento aparenta ser relativamente de baixo risco, ele não deixa de ser uma cirurgia que, é estética para quem olha, mas patológica para que tenha as orelhas de abano”.

Em média, o período de internação para a correção cirúrgica é de um dia. O procedimento é realizado e, se não houver complicações, o paciente recebe alta hospitalar. O retorno ao especialista acontece semanalmente, e após um mês do tratamento o paciente é acompanhado conforme a necessidade de cada caso.

O coordenador–geral de Saúde de Taguatinga, Otávio Augusto de Siqueira, ressalta a continuidade do atendimento. “O programa de ostoplastia do HRT é um serviço regular que não tem prazo definido para acabar, enquanto existir demanda continuaremos atendendo. Prioritariamente, serão operados os pacientes inscritos na primeira etapa, e quando tivermos o zeramento deste cadastro, reabriremos para outros pacientes”.

Início do Programa

Em junho de 2013, foi aberto um período de inscrição e houve demanda expressiva de 450 de pacientes. Em agosto do mesmo ano, os procedimentos começaram a ser realizados, semanalmente, cumprindo o calendário do centro cirúrgico.

Na primeira etapa do programa, das 200 crianças inscritas, 60 já passaram pelo procedimento. Os pacientes selecionados estão na faixa etária entre 07 anos (idade mínima considerada de segurança do desenvolvimento da orelha) a 12 anos (idade de formação de personalidade).

“Desde o começo, estamos realizando este trabalho baseado na definição clássica de ‘Saúde’ que é o bem estar biológico, psicológico e social. Esses requisitos se enquadram neste atendimento, tratando o paciente como um todo”, declara o chefe da Unidade de Otorrinolaringologia do HRT, Paulo Eli Coelho de Lima.

Por Claudete Nascimento, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226