Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/06/18 às 17h51 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

Hran moderniza fornecimento de refeição dos servidores

Servidora aproxima o crachá com o código de barras para acessar o local – Foto: Mariana Raphael

 

O sistema de registro da refeição oferecida aos funcionários foi modernizado no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). A unidade adquiriu dois leitores de código de barras, que foram instalados na entrada do refeitório. Agora, basta ao servidor aproximar o crachá identificado com o código para acessar o local.

 

O gerente de Apoio Operacional (GAO) da Região Central, Ivanildo Guedes, explicou que, além de otimizar a entrada dos servidores, o sistema eletrônico melhora o controle das refeições consumidas no sistema Trackcare.

 

“Antes, para receber a alimentação, o servidor informava o número da matrícula na recepção, mas não havia identificação visual porque não era necessário apresentar o crachá funcional”, disse.

 

Cada leitor custou, aproximadamente, R$ 150, custeados com verbas da Diretoria Administrativa.  Já a Gerência de Apoio Operacional adquiriu os papéis de etiqueta autoadesivos, que foram colados nos crachás com os respectivos identificadores.

 

“Foram gerados códigos de barras para todos os servidores registrados no Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos do Hran, inclusive os residentes”, informou Ivanildo.

 

Ele contabilizou que, até agora, dos 1,7 mil servidores da unidade, 1,2 mil receberam os códigos. A expectativa é de que o cadastramento seja concluído ainda neste mês.

 

Segundo Ivanildo Guedes, além da implantação dos leitores, a unidade criou um sistema paralelo ao Trackcare, destinado aos servidores que precisam, excepcionalmente, realizar plantão de 12 horas e, por isso, ganham o direito à alimentação; e para o cadastro de quem não têm direito à refeição, mas prefere comprá-la.

 

“Com isso, teremos o sistema 100% informatizado, o que permitirá agilidade no processo de registro de acesso, segurança no controle de quem está usufruindo do benefício, além de evitar erros nos registro de controle da Secretaria de Saúde e agilizar a entrada do servidor no refeitório”, concluiu.

 

TEXTO: Ailane Silva, da Agência Saúde