Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/04/20 às 15h35 - Atualizado em 15/04/20 às 15h45

HRBz passa a operar com novos aparelhos para higienização e esterilização de materiais

COMPARTILHAR

Unidade recebeu duas autoclaves e uma termodesinfectora, que já estão em pleno funcionamento

 

O Hospital Regional de Brazlândia (HRBz) ganhou duas novas autoclaves e uma termodesinfectora. Os aparelhos são utilizados para esterilizar materiais médico-hospitalares e desinfectar e lavar os produtos. A instalação dos equipamentos começou no dia 9 de março e, após um mês, eles já estão em plena operação, oferecendo agilidade e maior eficácia no processo de esterilização, além de melhoria no processo de trabalho dos servidores.

 

“São máquinas maiores e mais modernas. Com isso, aumentou a nossa capacidade em cada ciclo de esterilização, o que é extremamente positivo pois não atendemos somente o hospital. Atendemos, também, a demanda das Unidades Básicas de Saúde”, explica a diretora administrativa da Região Oeste, Graziele de Faria.

 

No total, a Secretaria de Saúde adquiriu 29 autoclaves e 17 termodesinfectoras para toda a rede pública. A entrega é gradual, de acordo com a capacidade de armazenamento e instalação.

 

Depois de Brazlândia, as próximas unidades que receberão os equipamentos são os hospitais de Apoio de Brasília (HAB), Planaltina (HRPL), Materno Infantil de Brasília (HMIB) e a Unidade Mista de São Sebastião (UMSS).

 

A autoclave, de forma genérica, é um equipamento que impacta diretamente na produção do centro cirúrgico. Com ela, são esterilizados todos os instrumentos e todos os materiais de uma unidade hospitalar. Qualquer impedimento ou limitação reflete no centro cirúrgico.

 

INSTALAÇÃO – Foi necessário fazer adequações estruturais no local onde as máquinas foram instaladas. São equipamentos que dependem de ar comprimido, energia elétrica, água tratada e condição de ar ambiente com exaustão de calor, uma vez que os equipamentos funcionam entre 121 e 134 graus, produzem calor ambiente muito grande. Então, se o ambiente não tiver uma instalação correta, com retirada de calor, torna-se insalubre para o operador.

 

Por conta do tamanho e peso, a instalação das máquinas exigiu uma logística muito grande. “Contamos com a parceria da Novacap, que nos disponibilizou os guindastes e operadores para fazer o transporte desses equipamentos do Parque de Apoio até as unidades hospitalares”, explica Isaque Albuquerque, subsecretário de Infraestrutura em Saúde (Sinfra).

 

A parceria da Secretaria de Saúde com a Novacap evitou que fosse realizado um processo licitatório para a contratação de uma empresa que fizesse o transporte dos equipamentos. “Como a Novacap já tem essa estrutura pronta, tem histórico de operação, já é do governo, é mais simples. Isso evitou um processo a parte de contratação e podemos agilizar tudo”, afirma o subsecretário.

 

Texto: Jurana Lopes, da Agência Saúde
Fotos Geovana Albuquerque/Agência Saúde