Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/04/18 às 12h56 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

HRGu recebe o projeto Brasília, Capital das Orquídeas

Érika Bragança, da Agência Saúde

 

Quem passou nesta terça-feira (3) pelo Hospital Regional do Guará percebeu uma paisagem diferente. A unidade recebeu mais uma edição do projeto “Brasília, Capital das Orquídeas – a Saúde mais florida”. Durante todo o dia, profissionais de saúde, visitantes e pacientes conheceram o projeto e contribuíram com a compra das flores para o hospital. O objetivo é melhorar os espaços de convivência e circulação, tornando o ambiente mais belo e agradável.

O projeto pertence à Gerência de Voluntariado da Secretaria de Saúde e já percorreu unidades como os hospitais Materno Infantil de Brasília e de Apoio, além da Administração Central da pasta. No Guará, a responsável pelo Voluntariado, Luciana Cormick, e parte essencial na divulgação do evento, destacou a curiosidade dos servidores em relação aos cartazes, e do inusitado evento na unidade.

“Acredito que é a primeira vez que recebemos um evento assim. Ajudar a humanizar a unidade, realmente, é buscar sensibilizar por meio da paisagem que se vê. Algo no mínimo diferente. Cantinhos com flores sempre trazem alegria e beleza. Por que não num hospital? O ambiente já é difícil, mas as flores ajudarão a trazer leveza. Os servidores participaram ativamente e quem veio para consulta, também não perdeu a oportunidade”, enfatizou.

Presente no evento, o idealizador do projeto João Bosco quer Brasília no cenário internacional como a cidade das orquídeas. O trabalho é realizado há três anos.
“Esse é um sonho que estou realizando juntos com os brasilienses. Quero que Brasília seja o maior orquidário a céu aberto do mundo. Em cinco anos quero alcançar essa meta. Faltam apenas dois. Holanda é conhecida pelas tulipas, o Japão pelas cerejeiras e Brasília será conhecida pelas orquídeas”, declarou.

A diretora do HRGu, Adriana Benevides, elogiou a iniciativa e aproveitou a oportunidade para entender um pouco sobre universo das orquídeas. Além disso, conversou sobre os espaços ideais para o plantio na unidade. Segunda ela, no ambiente hospitalar tudo precisa ser pensado.

“Chegar ao hospital com essa paisagem, já muda o dia. É um projeto que recebemos com muita alegria, pois ajudará a humanizar nossos espaços. Estamos pensando juntos os lugares e pontos estratégicos para causar o impacto que almejamos. Não vemos a hora de chegar a data do plantio porque sabemos dos benefícios que iremos colher com esse simples ato. Temos área no subsolo, jardins e pontos de espera do paciente. Em meio à estrutura de concreto, teremos flores”, declarou.

Presente no evento também, o gerente de Voluntariado da secretaria, Cristian Silva, destacou a importância do voluntariado e frisou que sem parcerias, alguns projetos se tornam inviáveis. “Brasília, Capital das Orquídeas tem uma adesão incrível por onde passa. É especial porque depende da participação ativa do público nas unidades. Não é apenas mostrar orquídeas, mas mudar a realidade de um ambiente. Transformar espaços e percepções”, declarou.

Maria de Fátima, paciente na unidade, se surpreendeu com a iniciativa. “Sempre venho em consulta aqui, mas nunca me deparei com um evento assim. Deveria vir mais vezes para cá. Estou levando as mudas para a minha casa e quando tiver que plantar, virei trazer mais beleza ao hospital com a minha planta”, declarou.

O projeto seguirá para o Hospital Regional de Taguatinga. A cada duas mudas que são compradas, uma será doada à unidade. O servidor também pode trazer de casa, caso queira participar do plantio.