Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/04/13 às 20h53 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

HRPa é referência em cirurgia de coluna no DF

COMPARTILHAR

São feitas até 20 cirurgias por mês

O Hospital Regional do Paranoá (HRPa) é referência em tratamento de coluna para todo o Distrito Federal. O serviço, que começou com um ritmo acanhado há cerca de um ano, recebeu um incremento no final do ano passado e vem ampliando o número de atendimentos. “Estamos fazendo entre 15 e 20 cirurgias por mês e cerca de 100 consultas ambulatoriais”, informa o coordenador da Regional de Saúde do Paranoá, Rommel Costa.

A estruturação do serviço só foi possível após a contratação de servidores e a ativação de duas salas do centro cirúrgico que estavam fechadas. “Estamos aumentando o número de cirurgias e a oferta de consultas com cinco ambulatórios. A intenção é reduzir a fila de espera pelo procedimento o mais rápido possível”, diz o coordenador.

Levantamento realizado pela unidade revela a existência de cerca de 600 pessoas aguardando consultas devido a doenças da coluna. “Os problemas de coluna precisam de atenção imediata, pois podem ser incapacitantes e trazem muito sofrimento ao paciente”, ressalta e o coordenador.

O hospital do Paranoá já é referência no tratamento ortopédico da rede eestá realizando grande parte das cirurgias da especialidade. “Em 2012 fizemos cerca de 100 procedimentos de todos os tipos que envolviam trauma, principalmente de pacientes de encaminhados pelo Hospital de Base”, ressalta Rommel Costa. Segundo ele, ainda há uma demanda grande de cirurgias de emergências e isso acaba prejudicando a realização dos procedimentos eletivos (agendados), pois as mesmas tem prioridade.

Fraturas em idosos
Desde novembro, o HRPa também vem ampliando a atenção aos idosos com fraturas, após a criação de um grupo especial para acompanhar a situação desses pacientes. O objetivo é diminuir o tempo de espera da cirurgia do paciente da terceira idade, para até 72 horas. Atualmente, o idoso é operado entre cinco e 15 dias após a sua entrada no pronto-socorro, em razão dos exames pré-operatórios que têm de ser realizados. Em média, dois idosos com fraturas são operados por semana no hospital.

De acordo com o coordenador da regional de Saúde esse grupo é importante para acelerar o atendimento e evitar maiores complicações no quadro de saúde do idoso. Dentre esses pacientes, será priorizado o atendimento aos casos de fratura no fêmur, considerada mais grave devido ao tempo prolongado de imobilização”.

Com a criação do grupo, todo paciente da terceira idade que for atendido no pronto-socorro do HRPa será cadastrado e o sistema informará a todas as chefias relacionadas ao idoso sobre a chegada do paciente e sua situação. A partir desse momento, as especialidades terão que fazer todos os exames pré-operatórios e realizar a cirurgia em até 72 horas. Caso o procedimento não seja efetuado no tempo determinado, a direção do hospital vai intervir para resolver as pendências e viabilizar a cirurgia.

As chefias que recebem informações sobre o estado de saúde do idoso são as de Ortopedia, Anestesia, Cardiologia, Geriatria, Fisioterapia, Enfermagem, Diretoria, Radiologia e Laboratório, além das chefias da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e do Controle de Infecção. O sistema utilizado será o Google Docs e a iniciativa não gerou custos ao hospital.

Celi Gomes

Leia também...