Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/05/18 às 11h18 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

HRT oferece assistência odontológica para bebês

Maioria dos casos é para operar “língua presa” e os dentes neonatais – Fotos: Matheus Oliveira

 

Apesar de soar estranho, muitos bebês, quando nascem, precisam receber avaliação e cuidados odontológicos especiais para estabelecer a saúde bucal.

 

O responsável técnico da Unidade de Odontologia do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) e cirurgião oral, Wagner Gomes Reis, explica que 99% dos casos são para operar o freio lingual nos casos conhecidos como “língua presa” e os dentes neonatais.

 

No caso das crianças com a língua presa e que não conseguem mamar adequadamente, elas precisam ser submetidas ao procedimento cirúrgico chamado frenectomia, uma incisão com o auxílio de uma tesoura na membrana para que a língua possa se movimentar.

 

“São aproximadamente 20 a 30 casos por mês. Esse procedimento dura menos de um minuto e, na maioria das vezes, não necessita de anestesia nem de sutura”, informou.

 

Um deles é Henzo Gabriel de Sousa, que tem um mês e 10 dias de vida. Segundo a mãe, Thaís Gonçalves de Sousa, a prega lingual estava causando problemas na alimentação do bebê. “Ele perdeu algumas gramas porque não está conseguindo fazer a sucção adequadamente, por isso, tive que começar a retirar o leite para alimentá-lo”, relatou a mãe.

 

Prega lingual causava problemas na alimentação do pequeno Henzo, que tem um mês de vida

 

Já os casos de dentes neonatais são mais raros. Eles somam aproximadamente um a dois atendimentos a cada mês. “Esses são dentes que parecem cápsulas e são bem frágeis, com pouco tecido mineralizado, que tem o risco de soltar-se e o bebê aspirar. Por isso, é necessário fazer a exodontia, que é a retirada”, explicou o dentista, ao destacar que este procedimento pode demorar um pouco mais e necessita de anestesia.

 

O dentista explicou que os bebês que apresentam esses diagnósticos são encaminhados por profissionais de outros setores que identificam o problema, principalmente, durante o atendimento no Banco de Leite, Pediatria, Nutrição e UTI Neonatal.

 

“A recuperação, em ambos os casos, é rápida e a cicatrização também, sendo que é necessário que a mãe tome cuidados apenas para manter a higiene”, finalizou.

 

Bebês que tem esse problema são encaminhados por profissionais de outros setores

 

TEXTO: Ailane Silva, da Agência Saúde

 

 

 

HRT oferece assistência odontológica para bebês