Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/06/14 às 14h25 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

HRT promove abraço simbólico de proteção aos jovens

COMPARTILHAR

Ação visa sensibilizar a comunidade sobre a importância da segurança durante a Copa 

O Hospital Regional de Taguatinga (HRT) promove na terça-feira (10), às 9h, na portaria central, um grande abraço em favor da proteção de crianças e adolescentes durante a Copa do Mundo. Com o lema Vitória na Copa é ter criança protegida, o intuito é informar e sensibilizar as pessoas sobre os riscos e os cuidados que se deve ter durante grandes eventos.

A ação faz parte da Campanha Integrada de Proteção com o eixo temático Diversão e Proteção – Proteja nossas crianças e adolescentes promovida pela Secretaria de Saúde (SES) em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) do DF.

De acordo com o coordenador-geral de Saúde de Taguatinga, Otávio Augusto Siqueira, como um dos maiores pontos de encontro de torcida será a Fan Fest, no Taguaparque, o HRT não poderia deixar de se mobilizar para garantir que os direitos e a integridade dos adolescentes e crianças não sejam violados ou ameaçados. “Todos nós cidadãos somos responsáveis por cuidar de nossas crianças e adolescentes. O Estado deve cuidar e a família proteger. Todos devem se informar sobre os riscos, instruir as crianças, ficar atentos e denunciar”, afirma.

Quem está à frente das ações de proteção na Regional de Taguatinga é a coordenação do Programa de Pesquisa, Assistência e Vigilância à Violência (PAV) Azaléia. Segundo a psicóloga Cássia Ramalho, coordenadora do programa, o “abraço” tem o objetivo de convocar a sociedade para a responsabilidade de proteger as crianças e os adolescentes. “É importante divulgar e fortalecer as estratégias de proteção das famílias e dialogar com os filhos sobre como se cuidar”, explica.

Para fazer parte desta ação, o HRT convida toda a população para o grande abraço simbólico a favor da paz. O encontro será em frente ao prédio de internações do hospital. No evento serão distribuídos lacinhos brancos simbolizando a paz e botons com dizeres contra a violência. Vale lembrar que todos deverão usar alguma roupa ou adorno nas cores oficiais do Brasil.

Segundo estudos realizados por órgãos dos governos Federal e estadual e entidades não-governamentais, durante a realização de mega eventos há o aumento da vulnerabilidade de crianças e adolescentes, que ficam expostos a diversos riscos. Crimes como roubo, sequestro, tráfico de crianças e de órgãos, exploração sexual e outros tipos de violências são os perigos que podem atingir a sociedade.

Veja algumas dicas:

Para criança e adolescentes

1. Vá sempre acompanhado ao banheiro;
2. Tenha sempre um número de telefone de pessoas da família;
3. Não forneça informações pessoais para qualquer pessoa;
4. Não aceite nada de pessoas desconhecidas;
5. Marque um ponto de referência para casos de desencontro;
6. Procure sempre Bombeiro ou Polícia em situações de emergência;
7. Não aceite carona;
8. Evite andar sozinho e ande sempre por locais iluminados;
9. Cuidado, pessoas podem colocar drogas em sua bebida;
10. Mantenha-se hidratado;
11. Cuidado ao falar ao celular;
12. Cuide dos seus pertences e evite andar com objetos de valor;
13. Para pedir informações ou auxílio procure sempre um policial ou bombeiro devidamente identificado;

Para pais e responsáveis:

1. Identifique as crianças com nome completo e um telefone – utilize uma carteira de identificação;
2. Ensine a criança a listar três pessoas em caso de emergência;
3. Sempre acompanhe as crianças, inclusive ao banheiro;
4. Ensine a criança a identificar Bombeiros, SAMU e Polícia Militar para os casos de emergência;
5. Ao chegar ao evento, localize os serviços governamentais disponíveis: saúde/SAMU; segurança pública; serviços de assistência social;
6. Sensibilize seus filhos para os riscos de um grande evento;
7. Para pedir informações ou auxílio, procure sempre um policial devidamente identificado;
8. Utilize apenas transportes cadastrados.

Suemer Mariz, da Agência Saúde DF

Leia também...