Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/01/14 às 19h38 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Idosos infectados por HIV são minoria no DF

COMPARTILHAR

Pacientes contam com vantagens do Protocolo de Atendimento

Dados do Ministério da Saúde (MS) informam que houve um aumento de casos de AIDS/HIV no Brasil nas pessoas maiores 60 anos. A amostra nacional saltou de 4,8 (2001) para 8,7 (2012). A Secretaria de Saúde (SES/DF) revela que o índice nacional não representa uma tendência aqui no DF, já que a amostra de idosos infectados não gera variações significativas . Mesmo diante do cenário atual, a SES/DF já adota o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos.

O protocolo foi publicado em dezembro do ano passado e desde então, a SES/DF adota as diretrizes no atendimento de toda a rede. “Antes desse protocolo, o paciente era diagnosticado e tinha que esperar um período de incubação. Agora nossos pacientes recebem o tratamento de imediato, com uso de antirretrovirais”, revelou Thiago Amorim, chefe do Núcleo de Acompanhamento e Assistência ao Tratamento em DST. A parcela idosa é a maior beneficiária deste novo modelo, pois a baixa imunidade natural da idade, já é um fator agravante da doença.

A organização Nacional das Nações Unidas para Países em Desenvolvimento considera idosa a pessoa com 60 anos ou mais de idade. O contexto geral dessas pessoas mudou muito nos últimos anos com relação à qualidade de vida e as novas descobertas científicas e tecnológicas. Esses fatores foram determinantes no seu comportamento: atividade física, boa alimentação, acesso a internet e redes sociais. Em alguns casos, o idoso ainda associa tudo isso ao uso de drogas estimulantes sexuais como Viagra e similares, o que potencializa a atividade sexual e a diversidade de parceiros.

“Mesmo com os idosos mais ativos sexualmente, aqui no DF os índices não são alarmantes se levarmos em consideração o contingente de 2,5 milhões de habitantes na capital”, revelou a enfermeira do Núcleo de Monitoramento e Avaliação da SES/DF, Leidejane Paz. A afirmação da enfermeira leva em consideração o universo populacional de idosos do DF que é de 326 mil e as variações de incidência da doença de um ano para outro não conseguem produzir uma amostra robusta para revelar esse índice. Em Planaltina, por exemplo, 245 pessoas estão infectadas pelo vírus, mas apenas pouco mais de 2% dessas pessoas são idosas. “É uma amostragem muito pequena, mas é um contingente que está recebendo a nossa atenção”, disse o coordenador Regional de DST/AIDS de Planaltina, Luis Carlos Costa.

Serviço:

O teste pode ser feito gratuitamente, em qualquer centro de saúde do DF.

Outra opção é o Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) que fica na plataforma do meio (mezanino) da Rodoviária do Plano Piloto.

Horário de atendimento:

– Manhã: de segunda a sexta, de 8h às 11h.

– Tarde: de segunda a quinta de 13h às 17h.

Usuários da rede particular, ou plano de saúde também têm direito às assistências e tratamentos da rede pública de saúde.

Por Luana Lemes, da Agência Saúde DF

Atendimento à imprensa:

(61) 3348 2547/2539/9862 9226

 

 

 

 

Leia também...