Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/04/19 às 15h53 - Atualizado em 5/04/19 às 15h53

Iges-DF distribuiu 2 mil testes rápidos de dengue para Santa Maria, Base e UPAs

Ação faz parte do processo de reabastecimento de insumos e medicamentos após mudança de gestão

 

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF) reabasteceu, com dois mil testes-rápidos de dengue, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), o Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e o Hospital de Base (HB), nesta quinta-feira (4). Esta é mais uma ação para melhorar o atendimento nessas unidades de saúde, que fazem parte da ampliação do modelo de gestão.

 

“O Iges-DF está realizando aquisição para manter o abastecimento dos testes-rápidos de dengue regular, principalmente, durante o período de chuvas, quando aumenta o número de casos”, enfatizou o presidente do instituto, Francisco Araújo.

 

O teste é uma ferramenta complementar ao diagnóstico convencional, realizado com exames clínicos pelo médico, que se baseia em sinais e sintomas apresentados pelo paciente.

 

SINTOMAS – Como nos primeiros meses do ano há muitos casos de dengue, é importante observar os sintomas da doença, como dores abdominais intensas, vômitos constantes, sangramento de mucosas, hipotermia (baixa na temperatura corporal), entre outros. Nesses casos, a pessoa deve procurar, o mais rápido possível, a unidade básica de saúde referência da região onde mora.

 

Também é importante não tomar remédios sem consultar o profissional de saúde, pois o uso incorreto deles pode agravar a doença. Entre os medicamentos que não devem ser ingeridos quando se está com sintomas de dengue estão a aspirina, ibuprofeno, nimesulida ou diclofenaco.

 

 APOIO DA POPULAÇÃO – Desde o início do ano, os casos de dengue se intensificaram no Distrito Federal. De acordo com o último boletim epidemiológico, foram notificados 1.928 casos em 2019. Por isso, além do combate ao mosquito Aedes aegypti, promovido pela força-tarefa do Governo do Distrito Federal (GDF), é de extrema importância o apoio da população nesse enfrentamento, pois a maioria dos focos está nas residências.

 

As pessoas devem, pelo menos uma vez por semana, inspecionar suas casas em busca de possíveis focos da dengue. O ovo do mosquito pode resistir por mais de 400 dias na natureza sem contato com água. Quando a chuva vem, ele pode eclodir, aumentando o número de focos de larvas e mosquitos.

 

O telefone 160, da Secretaria de Saúde do DF é possível comunicar sobre locais com possíveis focos de dengue.

 

Texto: Ailane Siva, com informações da Agência Saúde

Foto: Lúcio Távora/Iges-DF