Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/08/13 às 19h22 - Atualizado em 30/10/18 às 15h06

Investimentos na rede pública de Planaltina

COMPARTILHAR

Entrevista com a coordenadora regional de saúde

 

HRPL - Coordenadora

A Coordenação Geral de Saúde de Planaltina atende uma população estimada em 230 mil moradores das áreas urbana e rural, além do Entorno. Somente no Hospital Regional de Planaltina (HRP), em média, são registrados 800 atendimentos por dia.

A rede de saúde conta com 1.500 servidores distribuídos no Hospital, cinco centros de saúde e 12 postos de saúde – nove rurais e três urbanos. Também fazem parte da regional o Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde (CERPIS) e Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). 

A coordenadora geral de Saúde de Planaltina, Mônica Rocha Rodrigues, é médica pediatra há 20 anos e trabalha na Secretaria de Saúde há sete.

Em entrevista ao site da SES a coordenadora destaca as principais melhorias implantadas na Regional, no governo Agnelo Queiroz.

ASCOM/SES – Quais são os serviços de referência no Hospital de Planaltina?
Dra. Mônica – O Hospital de Planaltina conta com o CERPIS – Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde, que é referência e pioneiro no tratamento com ervas medicinais. A unidade atende pessoas de todo o DF e Entorno, nas áreas de Homeopatia, Acupuntura, Terapias Comunitárias, Automassagem, Oficinas Integrativas e na distribuição e manipulação de medicamentos fitoterápicos.

ASCOM/SES – Quais foram as principais melhorias físicas e os investimentos na aquisição de equipamentos dos últimos dois anos no Hospital?
Dra. Mônica – Houve mudanças tanto na estrutura, como no comportamento dos servidores. Nunca se investiu tanto em Planaltina na saúde como agora. Realizamos reformas, construímos um centro cirúrgico, compramos equipamentos e investimos na capacitação dos profissionais. O processo de trabalho passou a ser mais dinâmico. O centro cirúrgico é um dos mais modernos e equipados da rede e garante atendimento de qualidade à população de Planaltina. Agora temos quatro salas, o que ampliou a capacidade de cirurgias do Hospital. O posto São José passou por manutenção, a Emergência do Hospital e o Centro de Saúde n° 1 foram reformados.

ASCOM/SES – Que serviços foram criados na atual gestão?
Dra. Mônica – Implantamos os seguintes serviços:
• Ambulatório de pequenas cirurgias;
• Serviço de pronto atendimento verde e azul na pediatria e clinica médica;
• Ambulatório de fisioterapia;
• Núcleo de Controle de Custos;
• Comitê de Óbito;
• Unidade móvel de odontologia;
• Implantação do Manchester;
• Contratações de recepcionistas;
• Convênio para atuação dos alunos do UniCEUB na regional de saúde;
• Programa de Atenção Integral à Saúde da Criança;
• Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher;
• Programa regional de Atenção Integral ao Adolescente;
• Programa de Atenção Integral à Saúde do Idoso;
• Programa de Hipertensão;
• Programa de Diabetes;
• Programa de Tuberculose e Hanseníase;
• Programa de DST/AIDS e Hepatites Virais;
• Programa de Saúde na Escola;
• Centro Regional de Saúde do Trabalhador.

ASCOM/SES – Quais as próximas ações a serem desenvolvidas na Regional?
Dra. Mônica – A construção de uma UTI, a instalação de um tomógrafo, a manutenção de postos de saúde da região, reforma e ampliação do Banco de Leite, da Radiologia, do Banco de Sangue e da Farmácia.

ASCOM/SES – Quais os desafios de um coordenador geral de saúde?
Dra. Mônica – Acredito que o coordenador geral de saúde enfrenta muitos desafios ao longo da gestão, mas o maior de todos é a responsabilidade de oferecer saúde de qualidade e com acessibilidade aos usuários. Outro ponto importante é a capacidade de gerenciar relações interpessoais e colocar os interesses coletivos acima de tudo.

Histórico do Hospital Regional de Planaltina

O Hospital de Planaltina foi fundado em 28 de dezembro de 1976, com o objetivo de prestar assistência à população de Planaltina e da área rural.

Com uma área construída de 14.866,11 metros quadrados, o HRPL é constituído de blocos de Emergência, Materno Infantil e Internação, Cozinha/Refeitório, Laboratório, Centro de Especialidades Odontológicas, Ambulatórios, Unidade Transfusional, Radiologia, Banco de Leite, Arquivo Médico, Lavanderia, Anatomia Patológica e Caldeiras.  

O Hospital oferece cinco especialidades médicas, centro cirúrgico, além de prestar assistência em odontologia, fisioterapia, terapia ocupacional, serviço social e psicologia.

 Tatiane Gomes

Leia também...