Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/21 às 10h43 - Atualizado em 14/02/21 às 14h37

Lidar com o desconhecido foi um dos maiores desafios enfrentados durante a pandemia

COMPARTILHAR

A fisioterapeuta Ana Paula Barbosa sente-se abençoada por estar na linha de frente e não ter pego Covid-19

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Formada em Fisioterapia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) há 21 anos, Ana Paula Barbosa Pereira, 49 anos, é uma profissional de saúde que integra o grupo dos Heróis da Saúde. Ela decidiu trabalhar na área porque acredita que pode interferir positivamente na qualidade de vida de um indivíduo.

 

A fisioterapeuta dedica-se ao tratamento de pacientes acometidos com o coronavírus – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Ana Paula trabalhou por 12 anos com reabilitação neurológica e saúde do idoso. No entanto, os últimos oito foram dedicados dentro da enfermaria da Cirurgia Geral do Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Um trabalho gratificante, segundo ela.

 

Desde o início da pandemia ela começou a atender os pacientes acometidos pela Covid-19, já que o hospital tornou-se referência para o tratamento do novo coronavírus. Foi para a linha de frente do enfrentamento da Covid-19.

 

A fisioterapeuta atuando na reabilitação de um paciente no Hran – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

“Com o início da pandemia, a equipe de fisioterapia iniciou um novo desafio: lidar com o desconhecido. Senti medo. Diante de minha família eu, antes protetora e exemplo, passei a ser uma ameaça. Momentos difíceis, idosos isolados, muito sofrimento e mortes. Nenhuma escola nos preparou para isso”, relembra.

 

Ana Paula conta que a equipe de fisioterapia “foi guerreira e unida”, apesar das dificuldades vivenciadas diariamente na rotina hospitalar e em meio a uma doença tão perigosa e desconhecida.

 

Ana Paula atua há 8 anos no Hran – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Segundo a fisioterapeuta, a vacina contra Covid-19 foi esperada com grande expectativa por todos. “Com o passar de 2020 sonhamos com a vacina, era nossa esperança. Ser uma das primeiras pessoas vacinadas me deixou feliz e ainda mais esperançosa de que seria o início da imunização de profissionais e da população que tanto sofre”.

 

A fisioterapeuta sente-se abençoada por nunca ter pego Covid-19 e não ter perdido nenhum familiar próximo. “Sou abençoada”, afirma com alegria. Ana Paula foi uma das primeiras vacinadas contra a Covid-19 no DF e recebeu a primeira dose em 19 de janeiro.

 

Veja mais fotos:

 

Lidar com o desconhecido foi um dos maiores desafios enfrentados durante a pandemia

Leia também...