Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/02/12 às 17h15 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Mães mais bonitas no Hospital de Santa Maria

COMPARTILHAR

Toda quarta-feira é um dia especial para as mães dos bebês internados na UTI Neonatal do 00011689Hospital Regional de Santa Maria. Nesses dias, elas esquecem a incerteza em relação ao futuro que as reserva e lembram-se delas próprias. Cada encontro, que acontece no espaço Mãe Nutriz do hospital, trata de um tema diferente escolhido pelas próprias mães.

Na quarta-feira (08),por exemplo, foi realizado o “Dia da Beleza”, e com apoio do empresariado local, os traços dos rostos cansados de cada uma das mães foram realçados pelos pincéis de maquiagem.

00011688Atividades semelhantes acontecem todas as semanas no Hospital. Sônia Martins, da coordenação de enfermagem, explica que as reuniões do Espaço Mãe Nutriz, como foi batizada a sala de atividades, contam com o apoio de uma equipe multidisciplinar, formada por médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, psicólogos, nutricionistas e fisioterapeutas. Os profissionais são acionados de acordo com o tema escolhido e auxiliam as mães esclarecendo questões importantes para a saúde.

Para garçonete Daiane Bueno, mãe de Gabriel, que já está a mais de dois meses internado no hospital, o Espaço Mãe Nutriz é essencial. Segundo ela os encontros ajudam a superar os problemas que enfrentam. “A gente carrega muita coisa na cabeça, muita preocupação e quanto estamos juntas aqui, podemos relaxar, desabafar e até esquecer um pouco a dor dos nossos filhos”.

Clarissa Vaz, psicóloga da Unidade, percebeu no tema relacionado à estética, a oportunidade de reunir pessoas interessadas em proporcionar um dia especial para as mães. “Para realizar o “Dia da Beleza”, incentivamosas doações, mas não de qualquer coisa. Eu sempre digo que as doações que a gente busca, são aquelas que nós daríamos também para os nossos filhos”, explicou Clarissa. “Eu também fiquei na UTI com meu bebê e minhas amigas iam lá me visitar, me maquiar e cuidar de mim, então eu sei o quanto isso faz diferença”, revelou a psicóloga.

Uma das voluntárias, Camila Nunes, proprietária de uma empresa de cosméticos que apoiou a iniciativa, falou que a chance de ajudar veio num momento oportuno. “Muitas vezes queremos contribuir e não sabemos exatamente como”, disse a empresária. Camila acredita que com o nascimento dos bebês, as mães ficam focadas apenas em cuidar deles e esquecem de si próprias. “Quando nasce um bebê, nasce uma mãe junto com ele. Uma mãe que também precisa se cuidar e ter atenção com as necessidades dela. Então nós queremos ver mães bonitas, cuidadas, maquiadas, porque isso também simboliza a autoestima”, acredita.

Depois da maquiagem, mais um momento especial foi reservado para as mães, ao lado de seus bebês, por meio de um ensaio fotográfico para guardar o momento não apenas na memória, mas também em fotos. Clarissa explicou que, para muitas mães, aquela era a primeira vez que posavam para uma fotografia junto a seus filhos. A partir do apoio de uma empresa de produção de fotografias, uma equipe de profissionais captou as imagens.

Entre sorrisos e poses, Daiane, a mãe de Gabriel, quis chamar mais alguém para aparecer nas suas recordações: as auxiliares de enfermagem Railene Maia e Ludmila Gomes. Daiane conta que quando esteve internada por um problema no útero, foram as duas profissionais que cuidaram de Gabriel. “Eu estava longe, mas sabia que ele estava seguro aqui. Hoje eu digo que ele tem três mães, eu e mais duas que ele ganhou no Hospital de Santa Maria”.

Orgulhosa, Ludmila conta que foi em um de seus plantões que Gabriel fez seus primeiros movimentos. “Eu era como a mãe dele naquele momento. Não é só medicação que a gente oferece na UTI, para trabalhar aqui tem saber se doar. A criança sabe quando você coloca seu sentimento. O simples toque traduz o que você está passando para o bebê, e ele responde a isso”, explica Ludmila.

Tanto apego transforma as esperadas despedidas, em momentos difíceis. Railene fala que a partida de cada paciente é uma vitória, mas às vezes arranca lágrimas. “Cuidamos para que eles possam ir embora, e quando vão, ficamos felizes por eles, mas sentimos falta tanto da mãe, quanto do bebê”.

Grata às doações anônimas e às empresas que apoiaram o encontro, a equipe da UTI Neonatal de Santa Maria já começa a planejaro encontro da próxima quarta-feira. Até lá, não se sabe ao certo o que terá mudado na vida de cada uma das mães. A única certeza é que aquelas que ainda estiverem na Unidade de tratamento Intensivo poderão se reunir para aprender, conversar, rir e por alguns instantes esquecer a realidade dura que as cerca.

Ascom SES-DF