Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/11/14 às 17h22 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Mais de cinco mil pessoas se trataram de câncer neste ano

COMPARTILHAR

Saúde realiza ações preventivas para os casos de mama e colo de útero, além daqueles de pulmão nos programas contra o tabagismo

BRASÍLIA (27/11/14) – Hoje o Brasil celebra o Dia Nacional de Combate ao Câncer, doença que já levou mais de cinco mil pessoas a tratamento no Distrito Federal este ano. A maioria dos casos é de pacientes em que a doença atinge a mama ou a próstata e é atendida nos hospitais de Base, Taguatinga, HuB e HCB.

Os tipos mais mortais de câncer são os de pulmão e traqueia. Segundo levantamento do Ministério de Saúde, de 2010 a 2012 ambos corresponderam a 11,7% dos óbitos relacionados ao câncer.

O número de pacientes tratados de câncer na rede pública local deve aumentar em 2014. Em 2013, foram 6.067 enfermos e, neste ano, a cifra chegou a 5.682 até setembro. Se a média mensal de casos tratados em 2014 for mantida, o número total ultrapassará os 6.300 pacientes.

A gerência de câncer da Secretaria de Saúde tem realizado captação inteligente dos novos casos femininos, convocando as mulheres com diagnóstico positivo para encaminhá-las a um especialista com rapidez.

“Com esse esforço, temos conseguido que o tempo de marcação dessas pacientes com um especialista seja de quinze dias nos casos de câncer de mama e, de um mês, nos de colo de útero”, explicou a gerente de Câncer da rede pública, Cristina Scandiuze.

Prevenção

Para tentar evitar as variedades mais fulminantes da doença, a Secretaria de Saúde oferece aos fumantes grupos de combate ao tabagismo em diferentes regionais, que atendem uma média de 500 pacientes por mês, dos quais mais de 70% conseguem deixar o vício.

Já a estratégia do Núcleo de Saúde do Homem, que acabou de lançar uma cartilha com dicas de saúde para esse coletivo, é procurar conscientizar a população masculina sobre a importância de fazer uma consulta de revisão uma vez por ano.

“Queremos reverter o hábito de os homens só buscarem os serviços de emergência, quando estão com a saúde bastante comprometida”, esclareceu a coordenadora do Núcleo de Saúde do Homem, Laurêz Ferreira Vilela.

Outro importante trabalho no sentido da prevenção é a vacinação das meninas de 9 a 13 anos contra o papiloma vírus humano (HPV), principal causador do câncer de colo do útero, que mata cerca de 90 mulheres por ano, só na capital do País.

Paliativos

Quando o paciente oncológico se encontra em fase avançada da doença, em que não há previsão de reverter o quadro, ele conta com os serviços de Cuidados Paliativos, encarregados de promover qualidade de vida desses pacientes.

Os serviços de Cuidados Paliativos oferecidos pela rede pública no Hospital de Base, em atendimento ambulatorial; da criança com ambulatório de visita domiciliar e, de Apoio, que além das consultas ambulatoriais é o único que oferece internação.