Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/10/21 às 17h42 - Atualizado em 20/10/21 às 18h22

Mutirão de reconstrução mamária do HRT tem reforço de profissional de micropigmentação

Procedimento cria imagem 3D das aréolas dos seios. Sete mulheres serão atendidas por voluntária

 

HUMBERTO LEITE | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO | EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA | DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

Conhecida no setor de estética como “maquiagem definitiva”, a micropigmentação é utilizada como opção para reconstrução de aréolas dos seios. Nesta semana, sete mulheres receberão os cuidados durante o mutirão reconstrução mamária realizado no Hospital Regional de Taguatinga (HRT) como parte da programação do Outubro Rosa.

 

A enfermeira Keni Costa é voluntária no trabalho de pigmentação com tatuagem das mamas – Foto: Sandro Araujo/Agência Saúde-DF

“Para nós, mulheres, é muito importante. É a finalização de tudo o que já passou, e temos também a nossa autoestima, a nossa vaidade”, conta Ivanilda da Silva, de 51 anos. A copeira fez a cirurgia de reconstrução mamária em 2018 e agora poderá, visualmente, ter o seio esquerdo em sua plenitude. “Não é um detalhe, é uma parte do nosso corpo”, afirma.

 

Foto: Sandro Araujo/Agência Saúde-DF

Voluntária no Outubro Rosa promovido pelo HRT, a enfermeira Keni Costa fez cursos na área de micropigmentação para atuar especificamente com o público feminino. “Para elas, acabou um ciclo de sofrimento e vem um novo ciclo, em que ela vai voltar a se amar”, afirma. A profissional lembra do dia em que uma paciente decidiu ir embora a pé simplesmente para que todos pudessem ver como estava feliz.

 

Tatuagem em 3D devolve a autoestima das pacientes que fizeram reconstrução mamária – Foto: Sandro Araujo/Agência Saúde-DF

A técnica utilizada para reconstituir as auréolas dos seios envolve o desenho 3D, com o uso de cores adequadas ao tom de pele de cada mulher atendida. Como o procedimento é mais suave que a tatuagem, a cada dois anos é necessário um retoque. Keni Costa também trabalha em casos como de vitiligo e lábio leporino.

 

Elzi venceu o câncer de mama – Foto: Sandro Araujo/Agência Saúde-DF

Aos 53 anos, e após a retirada das duas mamas, a dona de casa Elzi Cardoso não esconde a alegria em poder voltar ao HRT para aquilo que define como o último passo de uma longa batalha. “Fui muito bem tratada aqui. O resultado ficou perfeito!”.