Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/10/19 às 18h03 - Atualizado em 23/10/19 às 18h11

Nutricionistas participam de capacitação em alimentação cardioprotetora

COMPARTILHAR

O objetivo é promover alimentação adequada para prevenção e tratamento de doenças cardíacas

 

Gastronomia e regionalidade, prescrição dietética facilitada e uma estratégia lúdica são os pilares da Oficina de Alimentação Cardioprotetora, realizada nesta quarta-feira (23), no Hospital da Criança. A ação capacitou 85 nutricionistas das redes de atenção primária, secundária, hospitalar e domiciliar da Secretaria de Saúde.

 

“O objetivo é formar esses profissionais para serem multiplicadores nas suas equipes e áreas de atuação. A prevalência de doenças cardiovasculares é cada vez maior. A capacitação traz estratégias para colocar em prática uma alimentação mais regionalizada, trabalhando de forma mais facilitada e lúdica, diminuindo os índices das doenças cardiovasculares”, explicou a nutricionista da Gerência de Serviços de Nutrição da Secretaria de Saúde, Carolina Gama.

 

A ação é uma parceria da Secretaria de Saúde, Ministério da Saúde e do Hospital do Coração de São Paulo (HCOR), baseada na importância da alimentação para a diminuição dos fatores de risco das doenças cardíacas. O Distrito Federal é a 11ª unidade da federação a participar dessa capacitação.

 

ENTENDA – O Programa do Manual de Orientação para Profissionais de Saúde sobre o Alimentar Cardioprotetor é elaborado com alimentos cultivados no Brasil, de baixo custo, valorizando as diferenças regionais brasileiras e seguindo as recomendações nutricionais, nacionais e internacionais para auxiliar na redução dos fatores de risco cardíaco.

 

“Queremos incentivar uma prática de prescrição dietética para pacientes com histórico de doenças cardiovasculares e fatores de risco, e avaliar a redução e melhora dos mesmo”, complementa a coordenadora dos Projetos de Promoção em Saúde do HCOR, Enilda Lara.

 

A oficina trabalha a alimentação com a analogia das cores da bandeira do Brasil. A ideia é facilitar o entendimento dos pacientes. O verde, por exemplo, são os alimentos permitidos; o amarelo são os alimentos que precisam ser consumidos com moderação; e o azul representa os alimentos que devem ser consumidos em menor quantidade.

 

“Essa capacitação ajuda na nossa rotina, pois cuidamos de muitos pacientes cardiopatas. Então, quanto mais alinhados com as diretrizes do Ministério da Saúde e das orientações da Organização Mundial da Saúde, mais podemos ajudar os nossos pacientes”, ressalta a nutricionista da Unidade Básica de Saúde Nº 1 da Candagolandia, Paula Martins.

 

DADOS – As doenças cardiovasculares são a primeira causa de mortalidade no Brasil. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmam que essas doenças representaram mais de 30% dos óbitos no mundo em 2015 e, em países em desenvolvimento, como o Brasil, atingiram mais de três quartos das causas de morte.

 

Nivania Ramos, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF