Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/05/15 às 14h35 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Ouvidoria recebeu mais de 7 mil demandas nos primeiros quatro meses do ano

COMPARTILHAR

Canal estabele comunicação entre a Secretaria de Saúde e a população

BRASÍLIA (28/5/15) – Os usuários da rede pública de saúde contam com um importante canal para fazer denúncias, reclamações, dar sugestões, fazer elogios ou pedir informações: a ouvidoria. Por meio dela, a Secretaria de Saúde consegue identificar as necessidades e dar as possíveis soluções para os problemas identificados.

“Muita gente tem medo de entrar em contato para fazer uma denúncia ou reclamação, por isso é importante dizer que o sigilo é garantido, ou seja, os dados de quem entrou em contato não são divulgados”, frista a ouvidora da Secretaria de Saúde, Denize Bomfim.

Há pelo menos cinco formas de entrar em contato com a ouvidoria. “Há ainda manifestações que chegam até nós encaminhadas pelo Ministério Público”, destaca a ouvidora da Saúde.

Uma das formas que podem ser usadas é via intenet, podendo o usuário fazer a denúncia, sugestão, reclamação, elogio ou pedido de informação pelo site da Secretaria de Saúde (http://www.saude.df.gov.br/canais-de-atendimento.html) ou ainda pelo portal do Ministério da Saúde, por meio do Ouvidor SUS.

Também é possível fazer contato via telefone, sendo o número 160 para falar direto com a ouvidoria do Governo de Brasília, e o 156 para falar com o Ouvidor SUS. Quem preferir o atendimento presencial, pode comparecer à sede da Secretaria de Saúde ou em qualquer uma das 19 ouvidorias presentes nas regionais de saúde do DF.

Conforme explica Denize Bomfim, depois que as demandas chegam até a ouvidoria, elas são devidamente encaminhadas para os setores responsáveis. Pela legislação, a resposta ao usuário deve ser dada num prazo máximo de 20 dias. “Cada setor deve dar a resposta à demanda, mas o papel da ouvidoria é acompanhar se elas estão sendo atendidas devidamente”, destaca.

PAPEL IMPORTANTE- Segundo Denize Bomfim, o ouvidor atua como articulador da cidadania, favorecendo a criação de um espaço ampliado junto à comunidade, permitindo ao gestor não apenas atender, mas compreender de forma mais autêntica as necessidades da população.

Para ser ouvidor, é necessário ser servidor efetivo, apreciado e aprovado pelo controlador geral do DF ou por alguém por ele designado. No caso da Secretaria de Saúde, a escolha ficou a cargo do secretário da pasta. “Isso mostra o caráter de compromisso e imparcialidade no tratamento e condução das demandas”, frisa.

Neste ano de 2015, a ouvidoria da Saúde já recebeu 7.678 demandas, sendo 4 mil delas somente de denúncias e reclamações. “As demandas mais frequentes até agora foram falta de medicamento, demora na marcação de consultas e falta de especialidade médica”, conta a ouvidora.