Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/05/17 às 17h44 - Atualizado em 30/10/18 às 15h17

Pacientes de Caps fazem a festa em show de talentos

COMPARTILHAR

 Concurso elegeu melhor cantor e entregou premiação aos melhores desenho e frase criados por eles

BRASÍLIA (26/5/17) – Pacientes atendidos no Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e outras Drogas 24 h (Caps AD III) de Ceilândia tiveram uma tarde de descontração nesta quinta-feira (25), durante a terceira edição do show de talentos. Música, poesia, desenho e muita animação marcaram presença.

O evento foi aberto com a apresentação do coral de pacientes do Caps. Depois, o palhaço Psiu comandou a festa, colocando todo mundo para pular e dançar, com direito à premiação para o participante mais animado. E lá estava Edmilson dos Santos, 46 anos, que incorporou o Herondy – da dupla Jane e Herondy-, interpretando a música Não se Vá.

“Participar disso aqui é bom demais. Você viu eu dançando?”, disse Edmilson dos Santos, feliz por ter sido um dos escolhidos como mais animado. “Eu cheguei aqui, há uns dois anos, parecendo um cachorro. Usando álcool e todo tipo de droga, morando na rua. Hoje, considero estar 75% limpo, mas no caminho para parar com tudo e levar uma vida normal. Moro com meus irmãos e quando vejo que estou meio para baixo, corro para o Caps”, conta.

Para mostrar seu talento, seis pacientes dividiram o palco. Entre os jurados estavam a diretora de Saúde Mental, Gisele Silva, e o diretor administrativo da Região de Saúde Oeste, José Maria Gomes Filho, além de outras quatro pessoas, entre músicos e médicos.

O vencedor do concurso foi Abnel Pereira Pena, em tratamento no Caps AD III de Ceilândia há um ano. “Eu era morador de rua e usuário de crack. Primeiro, procurei um grupo da igreja batista, onde conheci uma missionária e me casei. Depois, vim para o Caps. Hoje, tenho local para morar e estou totalmente livre da droga”, contou, ainda surpreso com a vitória como cantor no show de talentos.

FRASE – Durante o show de talentos, o Caps aproveitou para fazer a entrega da premiação de um concurso de frases e desenhos, realizado no início do ano. Entre 15 participantes, Paulo César Cunha foi o primeiro lugar das duas categorias e viu estampadas em camisetas as suas criações (confira na galeria de fotos).

“Fiquei surpreso porque aqui tem muita gente inteligente, bem mais do que eu. Esse concurso é um grande estímulo para nós, que estamos buscando largar um vício”, disse. Ele está há dois anos em tratamento e considera o Caps como uma irmandade. “Desde que estou aqui, mudei hábitos ruins que eu tinha. Os profissionais são preparados para isso. Com psicólogos e medicação, fica mais fácil”, observa.

O Show de Talentos faz parte das comemorações do dia da Luta Antimanicomial, celebrado em 18 de maio. Durante todo o mês, diversos serviços da rede têm promovido eventos em alusão a data.

ATENDIMENTOS – O Caps AD III de Ceilândia atende pessoas maiores de 16 anos, moradores de Ceilândia, Brazlândia e entorno – em especial, Águas Lindas – e que tenham problemas com álcool e drogas. O serviço funciona de portas abertas, 24 horas, nos sete dias da semana.

Segundo a gerente do centro, Fabiana Faria, cerca de 85% dos pacientes que chegam ao Caps Ceilândia são por demanda espontânea. O restante, chega encaminhado de outros serviços da rede. “Somente no ano passado, fizemos 26 mil atendimentos. A maioria deles, homens, com ensino fundamental incompleto”, descreve.

O local conta com nove leitos para casos de acolhimento integral, ou seja, quando o paciente precisa ficar internado. “A internação se faz necessária em dois objetivos: a desintoxicação leve ou moderada, já que a grave é feita apenas a nível hospitalar; e pelo social, ou seja, quando o paciente está em situação de rua ou com vínculos familiares rompidos”, conta Fabiana.

Além dos tratamentos dentro do Caps, que incluem equipe multiprofissional e medicamentos, o centro também tem parceiros para onde encaminham os pacientes, para que possam ser reinseridos na sociedade. “Somente no ano passado, fizemos 100 encaminhamentos para a Vila Olímpica, onde eles podem praticar atividades físicas. Também encaminhamos para escolas técnicas e para vagas de emprego”, destaca a gerente.

Confira as fotos aqui.

 

Leia também...