Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/05/20 às 18h42 - Atualizado em 18/05/20 às 19h49

Pacientes do Hospital Materno Infantil ganham serenata para alegrar o dia

Grupo mantém viva a tradição das serenatas e encanta pacientes e funcionários do HMIB

 

Em tempo de live por conta da pandemia, participar de um show ao vivo é uma alegria que faz falta para muitos brasilienses. No Hospital Materno Infantil (HMIB) os pacientes e funcionários receberam nesta segunda-feira (18) um show solidário realizado pelo projeto serenatas BSB no jardim do hospital. Para manter a segurança o grupo composto por quatro músicos, se apresentou com metade da equipe, o violão de Diego Prestes e a voz de Bianca Levita. Os pacientes foram embalados com clássicos da música popular brasileira como Garota de Ipanema, Emoções, Desde que o samba é samba e o Bêbado e o equilibrista. 

 

O Projeto Serenatas BSB surgiu durante a pandemia, é o encontro de músicos brasilienses que tiveram que se reinventar durante o isolamento. Para Diego Prestes um dos idealizadores do projeto, a ideia não é só levar música, mas alegria e emoção. “Queremos tentar oferecer um momento especial para as pessoas abstraírem dessa situação tão triste que é viver isolado durante a pandemia e ficar no hospital”, conta. 

 

Conceição Magalhães, coordenadora de voluntariado do HMIB, lembra que a música tem o poder de acalmar as gestantes internadas, a equipe de funcionários e as crianças. “Nós liberamos a ação pois eles poderiam fazer com toda segurança pelo jardim central que dá acesso as enfermarias. Em tempos normais temos várias apresentações por mês, contação de histórias, músicas, shows, teatro”. 

 

Os profissionais de saúde que trabalham no Hospital Materno Infantil de Brasília aprovaram o show. Adriana Resende, psicóloga da UTI pediátrica do HMIB afirma que a música contribui para retirar o foco da doença, alivia o stress, a dor e ajuda na concentração. “Para as crianças a música traz a possibilidade de viajar e esquecer que está doente. Os servidores também se sentem especiais por serem lembrados”.

 

Da Agência Saúde

Foto: Divulgação/SES