Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/09/15 às 18h28 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Pacientes e servidores comemoram 55 anos de história do Base

COMPARTILHAR

Celebração da data teve corte de bolo e homenagens aos pioneiros da unidade

BRASÍLIA (11/9/15) – Para quem dedicou mais da metade da vida ao Hospital de Base, celebrar os 55 anos de história da unidade representa muita satisfação. Este é o caso da técnica de enfermagem e psicóloga, Maria dos Santos Pinheiro, 74 anos, uma das homenageadas, nesta sexta-feira (11), com o título de Ouro da Casa.

“Dediquei 42 anos da minha vida ao Hospital do Base, me aposentei e estou há 11 anos como voluntária do serviço de humanização e acolhimento de crianças e mães do centro cirúrgico oncológico. Esse hospital faz parte da minha vida e, por isso, não consigo sair daqui”, relatou a voluntária.

A homenagem foi feita pela mulher do governador, Márcia Rollemberg, acompanhada do secretário de Saúde, Fábio Gondim e outras autoridades do governo de Brasília. Os pacientes também participaram e houve corte de bolo e orquestra sinfônica do Corpo de Bombeiros.

“Neste momento, estamos reafirmando a história do hospital de Base. Temos que enfrentar as dificuldades com seriedade e precisão. Meu desejo é que os próximos 55 anos sejam de glória e referência para o nosso país”, ressaltou Márcia Rollemberg, ao destacar que tem compromisso com o voluntariado.

Fábio Gondim agradeceu o empenho dos servidores e falou sobre o momento crítico da área da Saúde, que não é apenas no DF, mas no Brasil inteiro.

“Nós estamos buscando incansavelmente soluções para adequar os serviços conforme as necessidades da população. O Hospital de Base é referência e peço aos nossos servidores que continuem fazendo seu trabalho com dedicação. Temos que ver no paciente a pessoa mais importante”, destacou.

Apesar de morar no Acre, a mãe Cleuma Alves, 30 anos, e a filha Maria Ingrid, 9 anos, também fazem parte da história do hospital. Desde que nasceu, a criança apresentou sérias complicações no sistema urinário e vem periodicamente sendo acompanhada pelos especialidades do Hospital de Base.

“Com seis meses de idade, a minha filha começou a ser atendida aqui e já foram feitas sete cirurgias. Já criamos laços com os servidores e, aqui, tive tudo que precisei. Graças ao hospital, hoje minha filha está recebendo alta e pode voltar a ter uma vida normal”, falou a mãe. “Fiz amizade com os médicos. Gosto de vir porque eles me tratam muito bem”, completou a menina.

Após ser elogiada por uma servidora em razão do espaço oferecido, todas as segundas-feiras, para ouvir os funcionários, a diretora geral da unidade, Ana Patrícia de Paula, afirmou que, em breve, passará a estreitar também o diálogo com os pacientes. “Nós não temos que simplesmente tratar os pacientes, mas temos que ouvi-los e acolhe-los”, disse.

LEMBRANÇAS – Aos 84 anos, o primeiro secretário de saúde do Distrito Federal, o médico Francisco Pinheiro da Rocha, foi um dos homenageados. Ele apresentou um pouco da história do Base. “Essa unidade surgiu em 1960 como o 1º Hospital Distrital de Brasília, já que a ideia eram construir ao todo 10 unidades e esta era a primeira”, lembrou o médico.

Pinheiro enfatizou que o Hospital de Base foi o terceiro no Brasil a implantar a clínica cirúrgica pediátrica, que só existia no Rio de Janeiro e em São Paulo. Também foi o terceiro a colocar em funcionamento a residência médica no país.

“O hospital já nasceu com a residência médica e, por meio da resolução 11 de novembro de 1960, foi criado o curso de pós graduação para o aperfeiçoamento técnico dos profissionais recentemente formados no Distrito Federal e de outros estados”, disse. “Foi muito bom pensar na residência médica desde o início. Era muito difícil trazer médicos por falta de residência e acomodações”, completou, ao contabilizar seis residentes em 1960 e mais seis em 1961.

Para ele, o Base foi de extrema importância para o desenvolvimento da medicina e isso o tornou referência hoje no DF e também em todo o Brasil.

Galeria de fotos