Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/04/15 às 13h40 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Pé Diabético comemora 90 dias sem grandes amputações

COMPARTILHAR

Sintonia entre setores foi fundamental para o resultado

BRASÍLIA (13/3/15) – Graças ao trabalho dos profissionais do Programa do Pé Diabético, referência internacional de atendimento, o Hospital Regional de Taguatinga (HRT) comemora nesta terça-feira (14), 90 dias sem procedimentos de grande amputação, acima do tornozelo, de pés diabéticos em portadores de Diabetes Mellitus.

O marco histórico desse período sem grandes amputações deve-se ao atendimento sincronizado entre o Ambulatório de Pé Diabético e Cirurgia Vascular. A cooperação mútua entre os setores resultou em um trimestre sem amputação neste grupo de pacientes.

O cirurgião vascular do HRT, Roberto Alves Lima, aponta a qualidade dos serviços prestados pelos profissionais como fator preponderante para esse resultado exitoso. “A agilidade na abordagem inicial do atendimento pela equipe técnica e o encaminhamento para a cirurgia vascular, tornou possível o salvamento de membros inferiores dos pacientes, sem a necessidade de amputá-los”, declara emocionado o médico.

Para o paciente Daniel Cardoso Dias, 58, não foi por falta de orientação dos profissionais que a diabetes avançou a ponto dele ter sido submetido à amputação das falagens do pé direito. “Há 15 anos sou diabético e faço tratamento no ambulatório do HRT, os médicos e as enfermeiras sempre disseram o que eu deveria ou não fazer, mas como fui descuidado, tive que sofrer amputação. Hoje me arrependo, mas aprendi a lição de me cuidar”, disse o morador de Ceilândia Norte.

Dentre os fatores mais recorrentes que podem evoluir para a amputação, destacam-se a dormência nos pés com perda de sensibilidade; doenças vasculares (aterosclerose – acúmulo de gordura nas artérias) e uso de calçados inadequados. Já as ulcerações, desencadeiam em infecções e são consideradas importante causa de transtorno à saúde do paciente com diabetes, que resulta em internações recorrentes.

Ambulatório do Pé Diabético – A Unidade atua no HRT desde 1988, quando da implantação do Programa de Educação e Controle do Diabetes (PECD) e desde 1999 ampliou o atendimento para outras doenças endócrinas tornando-se referência local, nacional e internacional no atendimento ao Pé Diabético, atrelando-se o Centro de Pé Diabético. Em 2004, diante da consolidação do atendimento em diversas áreas especializadas, denominou-se o local como Setor de Endocrinologia e Diabetes (SED), mantendo-se atrelado à Unidade de Clinica Médica. Em maio de 2013, foi criada a Unidade de Endocrinologia (UE).

Certificada como Centro de Referência em Neuropatia e Pé Diabético, a UE realiza atendimento médio 330 pacientes por mês (e com participação no International Working Group on the Diabetic Foot International Diabetes Federation), e NeurALAD – Grupo de Estudo em Neuropatia Diabética da Associação Latino Americana de Diabetes). Como também, presta atendimento mensal a 1400 pacientes com doenças endócrinas e diabetes; dentre outros serviços.

Atualmente, a equipe de profissionais da UE é composta por 19 médicos (endocrinologistas e cirurgiões vasculares), 05 enfermeiras, 09 técnicos de enfermagem, 02 nutricionistas, 02 técnicas administrativas, 02 auxiliares e 01 fisioterapeuta.

Leia também...