Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/04/15 às 17h19 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Planaltina, Sobradinho II, Candangolândia e Taguatinga receberão ações de prevenção

COMPARTILHAR

selo dengue

Intenção é diminuir cada vez mais os casos de dengue

BRASÍLIA (24/4/15) – O DF continua a intensificar as ações de combate à dengue em todas as cidades. Desde fevereiro a Secretaria de Saúde passou a contar com o auxílio do Exército, do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil nas atividades de prevenção e eliminação dos focos do mosquito.

Amanhã (25), as cidades de Planaltina, Sobradinho II, Candangolândia e Taguatinga receberão algumas atividades de combate. Em Planaltina, no Setor Habitacional Arapoanga, os agentes de vigilância ambiental retornarão àquelas casas em que não conseguiram fazer vistoria, por estarem fechadas, e visitarão novas residências para orientação, inspeção e tratamento focal com aspersão de inseticida.

Em Sobradinho II e na Candangolândia os agentes contarão com uma grande parceria do Corpo de Bombeiros. Cerca de 100 soldados que já haviam sido treinados para o combate da doença, mas ainda não tinham atuado em campo, se dividirão entre as duas cidades e reforçarão as atividades de orientação aos moradores.

Já em Taguatinga, a ação será de conscientização dos moradores que residem na QNL 21. A comunidade está preocupada com uma área atrás da Escola Classe 46 que está sendo usada indevidamente como lixão. A administração já limpou o local diversas vezes, mas alguns moradores continuam a descartar lixo. A atividade foi estabelecida em reunião do grupo executivo de prevenção à dengue (Geiplandengue), composto por representantes da Regional de Saúde, da Administração Regional da cidade, da comunidade e de outros órgãos do DF.

Representantes da Geinplandengue da Regional de Saúde de Taguatinga estarão presentes no local, às 8h, para debater com a população as conseqüências que o descarte de lixo nesta área pode causar, principalmente em relação à proliferação do mosquito da dengue. Além de definirem uma estratégia de uso para o lugar, como implantação de uma horta comunitária ou jardinagem.

“Essas ações vêm para reforçar todo o empenho do GDF no combate à dengue. Não estamos medindo esforços para que o número de casos da doença diminua cada vez mais. Mas cabe ressaltar a população que ela tem papel fundamental nessa força-tarefa, pois cada um deve vistoriar bem a sua casa para que não haja locais de depósito do mosquito e também fiscalizar seus vizinhos. Temos que estar unidos nessa luta”, destacou o subsecretário de Vigilância à Saúde, José Carlos Valença.

DADOS – De 1º de janeiro a 20 de abril deste ano já foram registrados 2.403 casos de dengue em moradores do DF. Ao comparar os números de casos de 2015 e 2014, levando em consideração o mesmo período de amostras, é possível perceber que houve uma redução de 37,49% nos casos.

Esta semana a Subsecretaria de Vigilância a Saúde apresentou o 2º Levantamento Rápido de Índice para o Aedes aegypti (LIRAa) de 2015. O levantamento aponta a quantidade de residências com focos das larvas do mosquito transmissor da Dengue e Chikungunya. Das 31 cidades pesquisadas, nove apresentaram índice satisfatório, 20 apresentaram índice de alerta e duas apresentaram índice de risco.