Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/08/19 às 13h10 - Atualizado em 16/08/19 às 13h29

Profissionais de saúde e educação são treinados em Tai Chi Chuan

COMPARTILHAR

Ação faz parte do projeto Práticas Integrativas de Saúde nas Escolas

 

Doze profissionais das secretarias de Saúde e Educação concluíram, nesta sexta-feira (9), o curso de Tai Chi Chuan, para ensinarem a prática em escolas e unidades básicas de saúde (UBS) do Gama. A iniciativa faz parte do projeto Práticas Integrativas de Saúde nas Escolas, com recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais, voltados à prevenção de doenças e promoção da saúde.

 

“Como estamos na fase de expansão, a capacitação faz parte desse projeto, para os profissionais estarem aptos a fazerem a prática para os alunos, nas escolas, e os pacientes, nas UBS”, explicou Juliane Gonçalves, apoiadora das Práticas Integrativas de Saúde (PIS) na Região de Saúde Sul.

 

De acordo com ela, os servidores da Saúde que atuarem próximos às escolas também poderão ensinar a técnica aos estudantes. “A proposta é criar vínculos entre a escola e a UBS mais próxima do território, além de fortalecer a oferta dessas práticas integrativas”, comentou.

 

No caso do Tai Chi Chuan, a prática foi ensinada no Espaço Olhar, na Coordenação Regional de Ensino (CRE) do Gama, pela Referência Técnica Distrital da Gerência de Práticas Interativas em Saúde (Gerpis) da Secretaria de Saúde, mestre Aristein Woo.

 

Outras três turmas foram capacitadas em Reiki e fizeram oficinas de cacoterapia e Ayurveda – filosofia milenar nascida na Índia e que une medicina, massagem, alimentação e yoga.

 

ENTENDA – Após um ano de projeto-piloto em uma escola pública de ensino médio no Gama, as secretarias de Saúde e de Educação lançaram, em abril, o Práticas Integrativas nas Escolas. Com a oficialização, o Governo do Distrito Federal (GDF) planeja contemplar outras instituições de ensino.

 

“Inicialmente, tem acontecido nas escolas do Gama, mas o secretário de Educação já mostrou interesse em expandir para todas as escolas. Agora, tem ocorrido só em locais selecionados”, informou Juliane Gonçalves.

 

A iniciativa tem capacitado profissionais da educação e saúde, agregando estratégias de cuidado e atenção, com o objetivo de estabelecer recursos de prevenção de doenças, promoção da saúde e intervenção em situações de crise vivenciadas no ambiente escolar.

 

Os profissionais são treinados e certificados por meio do Centro de Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação (EAPE), do Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEPS) e da Gerpis da Secretaria de Saúde.

 

PIS – Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece, de forma integral e gratuita, 17 Práticas Integrativas e Complementares (PICS) à população. Os atendimentos começam nas unidades básicas de saúde, principal porta de entrada para o SUS.

 

Evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementares. Além disso, há crescente número de profissionais capacitados e habilitados e maior valorização dos conhecimentos tradicionais de onde se originam grande parte dessas práticas.

 

Clique aqui e saiba mais sobre as práticas integrativas e onde encontrá-las na rede pública de saúde do DF.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde
Fotos: Divulgação/Saúde-DF