Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
28/05/13 às 20h35 - Atualizado em 30/10/18 às 15h05

Programa anti-tabagismo volta a atender moradores de São Sebastião

COMPARTILHAR

Reunião nesta quarta (29), no centro de saúde

Moradores de São Sebastião que querem parar de fumar podem participar nesta quarta-feira (29), às 14h, no auditório do centro de saúde, da reunião do Programa Anti-tabagismo da Secretaria de Saúde.

A Regional de São Sebastião, que reiniciou este ano o atendimento a grupos de pessoas que desejam parar de fumar, conta com uma equipe multidisciplinar composta de médicos, odontólogos, psicólogos e auxiliar de enfermagem.

As reuniões, realizadas sempre às quartas-feiras, no auditório do centro de saúde, incluem palestras de apoio, consultas médicas, odontológicas e psicológicas, além da distribuição de medicamentos fornecidos pelo programa Anti-Tabagismo do Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer e Secretaria de Saúde.

O ciclo de palestras de cada grupo tem duração de cinco semanas, com sessões de manutenção quinzenais e mensais, para atendimento a 20 pessoas por grupo, que são acompanhadas durante um ano.

Para participar do Programa as pessoas que querem parar de fumar devem comparecer as reuniões de acordo com o calendário de marcação, pois as vagas são limitadas aos 20 primeiros que comparecem.

Para saber mais:
• Além das embalagens coloridas e com designs elaborados, feitas para atrair o público jovem, o cigarro oferece ampla variedade de aromas e sabores atraentes, capazes de mascarar seu gosto amargo. Ao tornarem os produtos derivados do tabaco atraentes e agradáveis ao paladar, os aditivos aumentam o potencial de gerar dependência e a possibilidade de causar danos a saúde.

• O cigarro causa dependência física.

• A nicotina é uma droga poderosa. Somente no Brasil, oito pessoas morrem por hora, vítimas de doenças provocadas pelo cigarro.

• Os fumantes contam com um risco duas vezes maior de sofrer derrame cerebral.

• O fumante passivo pode apresentar: irritação nos olhos, tosse, dor de cabeça, aumento de alergias, problemas pulmonares, aumento de pressão arterial, câncer, infarto e angina (dor cardíaca).

• A mulher tornou-se um dos alvos prediletos da indústria do tabaco, que vende o cigarro como símbolo de emancipação e independência.

• As doenças cardiovasculares e respiratórias, como infarto, hipertensão arterial, bronquite e enfisema são exemplos de males causados a homens e mulheres que fumam cigarros.

• As mulheres que fumam têm maior risco que os homens de desenvolver câncer de pulmão . O tabagismo está associado ao câncer do colo de útero, segundo tipo mais comum entre as brasileiras.

• O risco de doenças do aparelho circulatório chega a ser dez vezes maior em mulheres jovens que usam anticoncepcionais orais e fumam.

• A exposição à fumaça do tabaco durante a gestação também aumenta as chances de episódios de hemorragia, complicações com a placenta e durante o parto.

• Mesmo depois de dar a luz, quando a mãe fuma, a nicotina do cigarro contamina o leite e é absorvida pela criança. O tabagismo também aumenta o risco de osteoporose, infertilidade e menopausa precoce em mulheres.

• Mesmo quem não fuma, mas respira a fumaça de produtos de tabaco, se torna fumante passivo e corre o risco de ter câncer de pulmão, infarto e muitas outras doenças graves.

• O tabagismo é um causador independente do envelhecimento da pele.

• A sua respiração fôlego e batimentos cardíacos começam a voltar ao normalno primeiro dia sem fumar.

• Não fumar melhora a beleza, a saúde e o meio ambiente.

Marina Ávila