Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/12/21 às 13h39 - Atualizado em 29/12/21 às 14h32

Reformas e inaugurações de unidades de saúde na Região Centro-Sul

Ao longo do ano, a Secretaria de Saúde revitalizou a UBS do Lúcio Costa, fez obras no Hospital do Guará e entregou uma UBS e uma UPA no Riacho Fundo II

 

ADRIANA SILVA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF Z EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

 

Em 2021, a Secretaria de Saúde inaugurou duas novas unidades de saúde no Riacho Fundo II, pertencente à Região de Saúde Centro-Sul. Por lá, foram erguidas a Unidade Básica de Saúde 5 (UBS), a maior do Brasil e que ganhou destaque internacional, e uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) para atender as emergências. As estruturas de saúde existentes em toda a região também ganharam reparos ou obras de readequação e revitalização.

 

Dentre as unidades revitalizadas está a UBS 4 do Lúcio Costa. Inaugurada na década de 1980, a unidade, até então, não havia recebido manutenções em sua estrutura, que apresentava problemas arquitetônicos. O local passou por obras e, no dia 22 de julho, foi reinaugurado.

 

 

UBS 4 do Lúcio Costa foi revitalizada – Foto: Geovana Albuquerque/Arquivo-SES

As demais UBSs da região receberam intervenções na rede elétrica, hidráulica, na estrutura e reparos ou troca de telhado. Também foram feitas revisões nos itens de segurança, como a troca ou recarga dos extintores, manutenção dos equipamentos de ar-condicionado na rede de frio de algumas unidades, a limpeza das caixas de esgoto e de gordura, e limpeza de tubulações da rede hidráulica.

 

A Região de Saúde Centro-Sul é formada pelas cidades do Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I, Riacho Fundo II, Park Way, Candangolândia, Guará, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA) e Estrutural.

 

“A superintendência da Região de Saúde Centro-Sul não limita esforços para implementar melhorias em seus aparelhos de saúde, em todos os níveis de atenção. As melhorias são realizadas por meio do contrato de manutenção predial ou parceria com a Câmara Legislativa, por meio de captação de emendas de vários parlamentares que veem os esforços e propostas de melhorias para a Região”, afirma a superintendente Flávia Costa.

 

UBS 5

 

Com 2.143 metros quadrados de área construída, a Unidade Básica de Saúde 5 do Riacho Fundo II é a maior estrutura de saúde da Atenção Primária do Brasil. Erguida seguindo conceitos e padrões modernos de arquitetura, a UBS ganhou destaque no ArchDaily – o site de arquitetura mais visitado do mundo.

 

UBs 5 do Riacho Fundo II, a maior do Brasil – Foto: Geovana Albuquerque/Arquivo-SES

A unidade de saúde foi inaugurada no dia 1º de setembro e abriga um sistema de proteção ambiental que coleta água da chuva a ser utilizada para irrigação dos jardins e dos pátios, sendo uma fonte de ar fresco e úmido. O local tem capacidade para abrigar 5 equipes de Saúde da Família e fazer 30 mil atendimentos por mês.

 

Todo projeto da UBS foi licitado e executado pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab). A obra foi orçada em cerca de R$ 7 milhões.

 

Atenção secundária

 

Os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) do Guará e do Riacho Fundo I foram informatizados e também receberam obras, em diversos setores, por meio do contrato de manutenção predial.

 

Nas policlínicas do Núcleo Bandeirante e do Guará, as equipes de manutenção fizeram a impermeabilização do telhado, desobstrução de calhas, ralos e tubulações, além da limpeza geral da rede hidráulica.

 

No Hospital Regional do Guará (HRGu), com a adequação predial do ambulatório, foi possível aumentar o número de consultórios de atendimento. Além disso, foi feita adequação da sala de curativos do pé diabético, sala de exames, banheiro para portadores de necessidades especiais e copa.

 

Emergência

 

A nova Unidade de Pronto Atendimento do Riacho Fundo II foi inaugurada em 18 de novembro com a missão de reforçar os atendimentos emergenciais para quem reside naquela região ou nas imediações. A capacidade de atendimentos mensais é de até 4,5 mil.

 

UPA do riacho Fundo II tem capacidade de atender até 4,5 mil pessoas por mês – Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

A UPA funciona 24h por dia, de forma ininterrupta, e conta com uma equipe de 146 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos e outros colaboradores. O investimento do GDF foi de R$ 6,5 milhões.

 

O local possui uma área de 1,2 mil metros quadrados e conta com dois leitos de atendimento crítico emergencial na Sala Vermelha, seis leitos de observação e um leito de isolamento na Sala Amarela, 10 poltronas de medicação/inalação e reidratação na Sala Verde e três consultórios, além de sala para classificação de risco.

 

Hospital do Guará

 

O HRGu é um hospital de pequeno porte e atende as especialidades de clínica médica e pediatria, com internação e pronto-socorro. Na unidade, que passou por um longo período sem grandes modificações em sua apresentação original, as equipes fizeram várias intervenções para melhorar o ambiente para pacientes, acompanhantes e servidores. Obras de acessibilidade também foram executadas.

 

Dentre as reformas, a enfermaria da Clínica Médica foi revitalizada e entregue no mês de junho. O piso do pronto-socorro foi trocado, e a central de material esterilizado passou por serviços de manutenção predial com a ampliação de seu espaço físico, onde foi instalado uma nova autoclave e uma termodesinfectora com aumento da capacidade de material processado de 100 para 534 litros.

 

As autoclaves, respiradores, monitores, bombas de infusão, leitos hospitalares e gerador passaram por manutenção com recursos do Programa de Descentralização Progressiva de Ações de Saúde (PDPAS).

 

Atendimento

 

O Núcleo de Farmácia Hospitalar passou a funcionar de forma ininterrupta após receber melhorias na climatização, substituição de portas, colocação de forro no teto e reformas no banheiro dos servidores.

 

O hospital passou a contar com a Sala de Medicação-Dia, serviço que possibilita o uso prolongado de medicações por via parenteral sem a necessidade de permanência do paciente em internação hospitalar.

 

“As benfeitorias destinam-se não apenas aos usuários mas estendem-se aos servidores, proporcionando um ambiente saudável tanto do ponto de vista visual quanto favorecendo o bom clima organizacional”, destaca a superintendente da Região de Saúde Centro-Sul, Flávia Costa.

 

Na internação do HRGu, todas as poltronas dos acompanhantes foram substituídas. As obras continuam ocorrendo em vários locais da região para melhor atender os usuários levando saúde de qualidade a todos.