Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/02/20 às 14h55 - Atualizado em 19/02/20 às 15h05

Região Norte recebeu última etapa do QualisAps com servidores 

COMPARTILHAR

A próxima fase do programa prevê escuta de usuários da Saúde

 

Profissionais da Atenção Primária da Região de Saúde Norte foram os últimos a receber o oficina do Programa de Qualificação da Atenção Primária (Qualis APS). Cerca de 70 servidores entre médicos, dentistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem e de saúde bucal compareceram, durante a tarde desta terça-feira (18).

 

“Acreditamos que o movimento principal para melhoria da assistência à saúde no DF é a ampliação e sistematização da Atenção Primária à Saúde, aliada ainda ao trabalho em rede, comunicação com os outros pontos da rede e o Qualis vem com a proposta de estruturar toda essa interface”, opina a diretora Regional de Atenção Primária da Região de Saúde Norte, Renata Mercêz da Silva.

 

O programa passou por todas as sete regiões de saúde, desde janeiro, ouvindo os servidores. Ao todo, foram 506 profissionais ouvidos.

 

“Já foram ouvidos os gestores, agentes comunitários de saúde, técnicos de enfermagem, técnicos de saúde bucal, enfermeiros, médicos, cirurgiões-dentistas e os especialistas em Atenção Primária à saúde. O próximo passo será a escuta dos usuários e de especialistas, para, em seguida, construir os instrumentos de avaliação e autoavaliação, que serão pactuados com os trabalhadores e gestores”, explica a professora e pesquisadora da Universidade de Brasília, Cláudia Pedrosa.

 

PROGRAMA – O Programa de Qualificação da Atenção Primária (Qualis APS) foi lançado em setembro do ano passado com o objetivo de fortalecer a estratégia de saúde da família. É uma parceria entre a Secretaria de Saúde, Universidade de Brasília (UnB), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec).

 

Foram propostas quatro metas dentro do programa: avaliação participativa, curso de especialização em gestão na atenção primária, curso de aperfeiçoamento para profissionais da atenção primária e comunicação.

 

“O principal deste projeto é a participação dos trabalhadores que atuam na atenção primária, com escuta qualificada para buscar elementos que subsidiarão na construção de padrões. Precisamos construir um instrumento que tenha a cara da Atenção Primária do Distrito Federal, que tem suas peculiaridades”, diz a professora da Faculdade de Medicina, Kátia Poças, umas das mediadoras das oficinas.

 

Muitas das discussões das oficinas realizadas este ano estão baseadas nos encontros que aconteceram em 2019, quando participaram superintendentes e diretores de Atenção Primária.

 

Alline Martins, da Agência Saúde 

Foto: Geovana Albuquerque/Saúde DF