Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/02/18 às 14h31 - Atualizado em 30/10/18 às 15h18

Reprogramação do Instituto de Saúde Mental

BRASÍLIA (1º/2/18) – Mais uma vez, o Sindicato dos Servidores em Saúde (Sindsaude), numa estratégia que vai se tornando a cada dia mais político-partidária que corporativa, isola-se dos interesses da sociedade para espalhar notícias falsas e distorcidas acerca do que acontece na saúde pública do Distrito Federal. No que já vem se tornando uma rotina, o Sindsaude só vem colecionando derrotas com tal estratégia.

A última tentativa de mentira e distorção foi lançar uma nota dizendo que a Secretaria de Saúde pretende acabar com o Instituto de Saúde Mental (ISM). Acusa a secretaria de “contradição”, por reforçar por um lado o Instituto Hospital de Base e por outro querer, conforme a mentira, acabar com o ISM. Ora, se tal intenção fosse verdadeira, a contradição viria do Sindsaúde, defendendo o Instituto de Saúde Mental e atacando o Instituto Hospital de Base. Se fosse coerente e quisesse mesmo agir em favor da sociedade, o sindicato seria muito bem-vindo na defesa de ambos os institutos.

A Diretoria de Saúde Mental da Secretaria de Saúde (DISAM) informa que a reprogramação do ISM, bem como das demais estruturas que lidam com o tema, como o Centro de Orientação Médico Psicopedagógica (COMPP) e o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), está prevista no Plano Diretor de Saúde Mental, aprovado pelo Colegiado de Gestão da SES e publicado no DODF em dezembro de 2017. O Plano Diretor de Saúde Mental, documento oficial da DISAM que fundamenta todas as ações para qualificação da Rede de Atenção Psicossocial do DF não aponta, em nenhum momento, o fechamento do ISM.

Não há fundamento para servidores protestarem com relação às mudanças, uma vez que nenhuma proposição foi elaborada ou apresentada, já que o Grupo Condutor foi recém-criado e a primeira reunião desta equipe será realizada oportunamente.

De qualquer modo, é importante ressaltar, face ao esforço de desqualificação tentado pelo sindicato:

1. As mudanças previstas visam qualificar os serviços e potencializar a assistência prestada à população no ISM, bem como no HSVP e COMPP.

2. A reprogramação do ISM será desenvolvida por membros do Grupo Condutor da RAPS, bem como servidores que poderão ser convidados para tal fim (conforme prevê a Ordem de Serviço Nº 16, DE 26 DE JANEIRO DE 2018). Todas as proposições do Grupo Condutor serão encaminhadas para ciência e deliberação das instâncias superiores da SESDF.

3. Não há previsão de fechamento do ISM. e os serviços prestados por esse serviço continuam a funcionar normalmente.