Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/05/14 às 21h15 - Atualizado em 30/10/18 às 15h11

Samambaia comemora Semana de Doação de Leite Materno

COMPARTILHAR

Mães foram recepcionadas com brindes e café da manhã

“Solidariedade e amor ao próximo”, resumiu a doadora de leite materno de Samambaia, Katiane Loquingem Luiz, nesta segunda-feira (26), durante as comemorações da Semana Distrital de Doação de Leite Materno, no Hospital Regional de Samambaia (HRSam), que reuniu diversas mães doadoras da cidade.

As mães convidadas assistiram a um vídeo sobre a importância da doação de leite materno e participaram de aulas de dança com sling (tecido que forma uma espécie de rede, onde se carrega o bebê próximo ao corpo), orientadas por profissionais do Programa Dani Rico para gestante. As atividades oferecidas pelo programa são direcionadas para cada fase no dia a dia das grávidas. Ajudam a aliviar as dores e desconfortos posturais. Isso tudo se deve ao ganho de peso, mudanças posturais, alterações hormonais, dificuldades circulatórias e alteração do centro de gravidade – sintomas esses decorrentes da gestação. Além disso, foram recepcionadas com brindes e um café da manhã.

“Sou doadora há dois meses e sempre tive a certeza de que quando tivesse filho, eu doaria o meu leite. Pois, se Deus deu para o meu filho, eu também dou para as outras crianças”, completou Katiane.

A doadora Thayane Gomes, 25 anos, também destacou o que representa esse ato. “É importante ajudar mesmo aqueles que não conhecemos e que estão passando por um momento delicado, como é o caso dos bebês que estão na UTI”, disse a mãe de Hadassa, de quatro meses.

“O leite materno é o melhor alimento que a criança pode receber. Ele ajuda as crianças internadas na UTI a crescerem e se desenvolverem, além de trazer imunidade para elas, ou seja, é o principal alimento para a recuperação delas”, enfatiza a coordenadora dos Bancos de Leite Humano e Aleitamento Materno da SES/DF, Miriam Santos.

De acordo com Miriam Santos, o Posto de Coleta de Leite Humano de Samambaia está hoje vinculado ao Hospital Materno-Infantil de Brasília (HMIB), que tem o maior número de leitos de UTI neonatal.

A coordenadora-geral de Saúde de Samambaia, Paula Garcia de Araújo, agradeceu às mães doadoras da regional. “Se não houvesse essas mães, não teríamos o porquê de estarmos aqui. É importante conscientizar a todas que quanto mais se estimula o seio para a extração do leite, mais ele vai produzir. Então não vai faltar para o seu bebê”, explica.

Para a nutricionista do Posto de Coleta do HRSam, Mariane Curado, esta é uma ocasião importante. “É um momento de comemoração e de agradecimento a estas mães que ao doar o leite, doam amor. Pois, elas doam o leite para o bebê e força para a mãe”.

A diretora de Atenção Primária à Saúde de Samambaia, Alexandra Gouveia de Oliveira Miranda Moura, também elogiou as doadoras. “É um verdadeiro ato de amor, mesmo sem conhecer o próximo. Precisamos alcançar mais doadoras. A atenção primária tem um papel fundamental quando informa e orienta as mães sobre a doação de leite após o nascimento do bebê”, explica.

As comemorações em alusão à Semana Distrital de Doação de Leite Materno terminam nesta segunda-feira (26), com festividades também no Hospital Regional da Asa Norte.

Posto de Coleta de Samambaia

O posto de coleta do HRSam recebeu no mês de abril uma média de 42 litros de leite doados e, atualmente, conta com um cadastro ativo de 40 doadoras.

As mães que tenham interesse em ser doadoras de leite materno podem entrar em contato direto com o serviço, que equipes do Corpo de Bombeiros vão até a residência da pessoa e fornecem frascos de vidro esterilizados, toucas e máscaras, além de todas as orientações para uma coleta adequada. Todos podem colaborar também doando potes de vidro com tampa plástica.

O posto de coleta presta toda assistência sobre aleitamento materno e orienta aquelas que estão com dificuldades em amamentar. Para informações, dúvidas e doações, entre em contato com o posto de coleta do HRSam pelos telefones 3458-9811 ou pelo 160, opção 4.

Por Iêda Oliveira, da Agência Saúde DF

Leia também...