Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/04/15 às 17h06 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Samambaia realiza ação conjunta de combate à dengue

51 agentes visitam os locais com maior incidência de focos do mosquito

BRASÍLIA (8/4/15) – Uma equipe composta por 41 agentes de vigilância ambiental e 10 agentes comunitários de saúde realiza nesta quarta-feira (8), durante todo o dia, uma ação conjunta de combate ao mosquito transmissor da dengue e da febre Chikungunya em áreas prioritárias de Samambaia, que são as quadras 833 e 1031, locais com maior incidência de focos do mosquito Aedes Aegypti.

A ação conta com o apoio da Diretoria da Atenção Primária à Saúde, Núcleo de Vigilância Ambiental, em parceria com a Administração Regional de Samambaia, Coordenadoria das Cidades, SLU e da Ong Guarda Nacional.

“O combate e prevenção à dengue e à febre Chikungunya exigem constante vigilância e ações intersetoriais. Embora tenhamos uma redução dos casos em comparação ao ano anterior, e estes agravos estejam sob controle em Samambaia, não podemos deixar de agir de forma preventiva”, explica a diretora de Atenção Primária à Saúde de Samambaia, Alexandra Gouveia de Oliveira Miranda Moura.

Os agentes visitarão todos os imóveis dessas duas quadras em busca de possíveis focos e também orientarão os moradores sobre as formas de prevenção. Além da visita domiciliar, a Coordenadoria das Cidades, SLU e Administração realizarão a limpeza das vias públicas da área, retirando resíduos de possíveis criadouros do mosquito.

“Pedimos a colaboração dos moradores para que permitam que nossos agentes adentrem suas residências, porque assim, poderemos prevenir qualquer tipo de risco tanto para ele quanto para a comunidade”, esclarece o chefe de Núcleo da Vigilância Ambiental de Samambaia, Daniel Rogério.

De acordo ainda com o chefe, o resultado do último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti – LIRAa, do Ministério da Saúde, apontou Samambaia como uma região de médio risco. O levantamento é realizado em todos os imóveis a fim de identificar os criadouros predominantes e a situação de infestação da região, permitindo direcionar as ações de controle para as áreas com maior incidência, como foi o caso das quadras 833 e 1031.

Conforme o último Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde, a região administrativa registrou de janeiro até o dia 06 de abril deste ano, 59 casos confirmados de dengue, sendo que no mesmo período do ano passado, foram 135 casos.