Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/02/21 às 17h34 - Atualizado em 14/02/21 às 14h35

Samu ganha nova base modular em Taguatinga

COMPARTILHAR

Unidade fica na QNJ e possui capacidade para acolher duas viaturas, todas cobertas

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Foi inaugurada, na manhã desta quinta-feira (11), mais uma Base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-DF). Localizada na QNJ Área Especial 2, a base já está em funcionamento. Construída a partir de um projeto arquitetônico modular inovador, incorporando o uso de contêineres que atendem a todos os critérios técnicos preconizados pelo Ministério da Saúde que possibilitam ao GDF o recebimento de repasses financeiros para mais investimentos no serviço.

 

Base foi inaugurada pelo secretário Osnei Okumoto – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, ressaltou que “a base é de extrema funcionalidade para o Samu, além de ser inovadora. Um trabalho maravilhoso, que proporciona operacionalidade e tem espaço para ser feita a higienização das viaturas. É uma estrutura com ótimo custo-benefício e que será modelo para o restante do país”, explica o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

 

A nova base tem capacidade de acolher duas viaturas, devidamente cobertas, com área de desinfecção, higienização e escoamento, além de instalações para acomodar até seis servidores com sala de descanso, local para preparo das equipes antes e depois dos atendimentos, e expurgo. O valor total utilizado para construção da base foi de R$ 350 mil.

 

Okumoto destacou também o aspecto de que “essa base oferece melhores condições para quem trabalha aqui no dia a dia, pois tem toda a estrutura necessária às equipes”.

 

Outras bases

 

Atualmente, o Samu possui 23 bases, tendo em vista que no último dia 3 foi inaugurada uma base descentralizada modular na 905 Norte. Além da base inaugurada nesta quinta, mais duas novas unidades fixas estão em processo de instalação, sendo uma delas em Samambaia e outra em Taguatinga.

 

Base está instalada na QNJ, em Taguatinga – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

“Esse projeto inclui 12 bases até 2023. Inicialmente, contempla quatro bases. A distribuição é baseada em um controle. Temos 22 bases, mas algumas serão desativadas por motivos de localização, estrutura. Com a inauguração dessas duas bases modulares vamos ter um total de 23 bases, já que uma das antigas serão desativadas”, explica o diretor do Samu, Victor Queiroz.

 

Segundo ele, o objetivo das bases é operar de forma descentralizada, garantindo a cobertura territorial, e viabilizando a chegada das equipes de atendimento móvel até as vítimas no menor tempo resposta possível.

 

“A localização dessa base na QNJ é excelente porque fica ao lado de uma via de alto fluxo. Isso influi diretamente nos atendimentos, principalmente nos que são classificados como vermelhos, pois cada minuto pode fazer a diferença na hora de salvar o paciente e ter um deslocamento com maior rapidez impacta no sucesso dos atendimentos”, destaca.

 

Objetivo das bases é operar de forma descentralizada, garantindo a cobertura territorial – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Com a instalação das Bases Modulares do Plano Piloto e da QNJ poderão ser reestabelecidos os repasses para custeio de três unidades de suporte básico e uma unidade de suporte avançado (USA), correspondendo ao valor de R$ 934,5 mil.

 

Hoje, o Samu conta com 30 viaturas de suporte básico, oito viaturas de suporte avançado e um Aeromédico (integração Samu e Corpo de Bombeiros Militar) distribuídas em 22 bases.

Leia também...