Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
14/11/20 às 10h52 - Atualizado em 16/11/20 às 16h28

Saúde analisa 695 cartões de vacina contra a febre amarela

Do total, 384 pessoas precisaram ser vacinadas contra a doença em operação de bloqueio vacinal na cidade

 

JOHNNY BRAGA

 

Equipes da Secretaria de Saúde visitaram residências próximas de onde um macaco morto com febre amarela foi encontrado – Foto: Divulgação

 

A Secretaria de Saúde encerrou as ações em campo de bloqueio vacinal em São Sebastião contra a febre amarela. As equipes de imunização da Atenção Primária e da Vigilância Epidemiológica analisaram, em quatro dias, 695 cartões de vacina, os quais 384 precisaram receber uma dose.

 

A estratégia de vacinação volante ocorreu após a confirmação do óbito de um macaco por febre amarela em uma área de mata na Região Administrativa. A Vigilância Epidemiológica, juntamente com uma equipe de imunização da Região de Saúde Leste, visitou as residências que ficam em um raio de 300 metros quadrados do local onde o primata não humano infectado foi encontrado.

 

As equipes da Secretaria de Saúde visitaram todas as quadras, ruas e chácaras dos bairros São José, São Francisco, Morro da Cruz, Vila Nova, núcleo rural Zumbi dos Palmares e na Avenida Central.

 

384 pessoas precisaram ser vacinadas contra a febre amarela após verificação do cartão de vacina – Foto: Divulgação

 

Durante os dias de ação, 151 casas estavam fechadas. Nelas, foram deixados avisos impressos reforçando a necessidade de procurar a UBS o mais breve possível. A orientação é que essa população compareça à sala de vacinação da UBS 12 da Vila São José.

 

Em paralelo a essas ações de vacinação, equipes da Vigilância Ambiental trabalham no combate aos mosquitos Aedes aegypti e Haemagogus eSabethes (transmissores da febre amarela) fazendo controle químico e borrifação para eliminar os insetos, e buscando por macacos mortos.

 

Fique atento (a) aos sintomas da doença:

 

 

Jardim Botânico

 

Também foram feitas ações de bloqueio vacinal no Jardim Botânico onde um macaco também foi encontrado morto esta semana. No entanto, neste caso, não houve a confirmação de que o primata estaria com o vírus da febre amarela. Mesmo assim, as equipes da Atenção Primária foram até as residências das pessoas que residem próximas à área.

 

Foram 134 cartões de vacinação avaliados, entre quarta (11) e quinta-feira (12), e 81 pessoas vacinadas.

 

Vacinação

 

A vacina contra a febre amarela faz parte do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde e está disponível, durante todo o ano, em todas as salas de vacina do Distrito Federal.

 

Precisam ser imunizadas crianças a partir de nove meses, com reforço aos 4 anos de idade. Maiores de cinco anos até 59 anos devem receber apenas uma dose. Há casos em que é necessária avaliação médica para receber a vacina, como as gestantes, mulheres que amamentam bebês de até seis meses, pessoas com imunossupressão e com mais de 60 anos.

 

 

Transmissão

 

A febre amarela é transmitida principalmente em área rural ou de mata. Nesses locais, os transmissores da doença são os mosquitos Haemagogus e Sabethes. Na área urbana o transmissor é o Aedes aegypti, que também transmite a dengue, zika e febre chikungunya. Saiba mais sobre o ciclo de transmissão da doença: