Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/02/17 às 15h00 - Atualizado em 30/10/18 às 15h16

Saúde quer aprimorar aplicação do planejamento anual

COMPARTILHAR

Nova metodologia foi elogiada pelo Conselho de Saúde

 

BRASÍLIA (1/2/17) – A Subsecretaria de Planejamento em Saúde (Suplans) promove, entre os dias 1 e 3 de fevereiro, a 1º Oficina de Análise e Qualificação das Informações Gerenciais e Definição das metas da Pactuação Interfederativa 2017-2021 com o Ministério da Saúde, voltado para servidores de área técnica da Secretaria de Saúde. O objetivo é aprimorar os métodos de monitoramento e avaliação dos instrumentos de planejamento da pasta.

“A proposta é fazer com que os instrumentos de planejamento sejam realmente utilizados para as tomadas de decisão na Secretaria de Saúde”, diz a gerente de Monitoramento e Avaliação em Saúde, Marilza Almeida. Falando de maneira geral, seria preparar os servidores para verificar se o que está no papel está sendo colocado em prática.

Anualmente, a Secretaria de Saúde prepara a Programação Anual em Saúde (PAS), espaço onde são traçados ações estratégicas e metas, operacionalizando os objetivos do Plano Distrital de Saúde, que tem validade por quatro anos. “Essa programação precisa estar vinculada ao orçamentário, para garantir que haverá recursos para cumprir o que está no planejamento”, ressalta a gerente de Planejamento, Paulyane Ribeiro.

MÉRITO – No ano passado, a Secretaria de Saúde conseguiu, pela primeira vez, apresentar a Programação Anual em Saúde ao Conselho de Saúde, quando houve a validação. “Em razão disso, todos os servidores da Suplans envolvidos com o planejamento receberam monção honrosa pelas mudanças feitas na forma de trabalhar essa programação e por seu alinhamento e integração com os diferentes instrumentos de planejamento como PPA (Plano Plurianual), PDS (Plano Distrital de Saúde). Acredito que por isso tivemos esse reconhecimento”, explica Paulyane.

Os resultados das metas traçadas na Programação Anual de Saúde de 2016 deve sair até março. Atualmente, a pasta está na fase de coleta e análise de dados, mas os números parciais já apontam que o planejamento teve muitas metas alcançadas e até ultrapassadas. “A Atenção Bucal é uma delas. Dados parciais apontam aumento no número de pessoas atendidas, subindo de 28% para 35%”, exemplifica Marilza.

O processo de elaboração da PAS de 2017 foi ainda mais eficiente. Foi a primeira vez que a Secretaria de Saúde conseguiu apresentar a PAS antes da aprovação da Lei Orçamentária Anual. “É assim que deve ser feito, em consonância com a legislação”, destaca Paulyane.

Uma das metas deste ano é a assinatura dos acordos de gestão regional, previsto no processo de regionalização da Saúde, no final do ano de 2015. A previsão é de que esses acordos comecem a ser assinados em fevereiro.

Leia também...