Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
30/10/12 às 14h00 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Saúde da Família atinge 21% no DF

Com a concessão das 40 horas semanais, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal, dia 26, haverá aumento de 4% na cobertura das equipes da Estratégia em Saúde da Família (ESF), saindo de 17% para 21%. A ampliação da carga horária contemplou 43 enfermeiros e 79 auxiliares de enfermagem que atuam na ESF. “Esse benefício nos permitirá cadastrar mais 32 equipes junto ao Ministério da Saúde. Acreditamos que no próximo mês esse dado já apareça no cadastro nacional”, afirma a diretora de Gestão da Atenção Primária, Cleunici Godois.

As 32 equipes já atuavam na ESF, porém, não estavam registradas no Ministério da Saúde (MS). “Cada equipe cadastrada no MS recebe o recurso para ser investido na Atenção Primária. Quando não há carga horária adequada, consequentemente, a equipe não é reconhecida e não recebemos recursos por ela”, explica a diretora. Com o aumento da cobertura, facilita o acesso da comunidade aos serviços de saúde, além de viabilizar investimentos para a SES/DF.

A Estratégia em Saúde da Família atua com ações de promoção, proteção da saúde, prevenção de agravos, o diagnóstico, tratamento, reabilitação e manutenção da saúde. A ESF atende as seguintes localidades: Areal, Brazlândia, Ceilândia, Gama, Estrutural, Granja do Torto, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho e Itapoã.

Equipes de Saúde da Família
A atividade das equipes baseia-se na Portaria 2488 de outubro de 2011. São constituídas por Médicos de Família e Comunidade, dentistas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnicos de higiene bucal e agentes comunitários de saúde. “Esses profissionais são capazes de realizar atendimentos à população de todos os sexos e idades, além de estar aptos a tratar as pessoas integralmente, considerando seu contexto familiar e social”, comenta Cleunici. De acordo com ela, essas equipes têm capacidade resolutiva de até 80% dos problemas de saúde da população assistida.

Entre os serviços oferecidos nas Unidades de Saúde encontram-se a vacinação, acolhimento, dispensação de medicamentos, curativos, planejamento reprodutivo, pré-natal, saúde bucal, acompanhamento do crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, acompanhamento de doenças crônicas como hipertensão e diabetes, tuberculose e hanseníase, atendimento a pequenas urgências. Além das consultas marcadas, há agenda aberta para os problemas agudos.

Estas equipes também realizam encaminhamentos para exames e consultas especializadas, quando necessário. Isso tudo sem descuidar das ações de prevenção de doenças e promoção da saúde. Além destes atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde, os profissionais realizam ações nos espaços da Comunidade e visitas domiciliares para as pessoas que precisam desse tipo de atendimento.

Uma estrutura física adequada, próxima ao usuário, com equipes prestando atendimentos a uma população definida, de maneira humanizada, garantindo assim acesso qualificado, melhora o grau de acessibilidade e satisfação do usuário com o sistema. Além disso, a Atenção Primária trabalha com a definição de linhas de cuidado visando à melhoria da atenção prestada à saúde das crianças, mulheres, adolescentes, jovens, adultos e idosos, incorporando os conceitos de integralidade do sistema.

Patrícia Kavamoto