Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/06/21 às 10h01 - Atualizado em 29/06/21 às 12h39

Saúde disponibiliza ampla rede de atendimento para pacientes com Covid-19

Pacientes com sintomas leves ou moderados devem procurar UBSs e nos casos mais graves, as emergências hospitalares

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE

 

Quem suspeita de ter contraído a Covid-19 ou já foi diagnosticado com a doença e sofreu piora em seu quadro clínico pode ser atendido no Distrito Federal em qualquer unidade básica de saúde, Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e nos hospitais da rede, exceto o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) e o Hospital de Apoio de Brasília (HAB).

 

“Todos os demais hospitais estão aptos e preparados para receber pacientes acometidos com a doença. O Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) também atende Covid, mas somente crianças”, informa a subsecretária de Atenção Integral à Saúde substituta, Arilene Luis.

 

Emergência do Hospital Regional de Taguatinga – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Vale ressaltar que a porta de entrada para os atendimentos na rede pública de saúde são na Atenção Primária, ou seja, nas unidades básicas de saúde (UBSs). Todas elas estão preparadas com área e equipes destinadas exclusivamente para atendimento aos pacientes com sintomas típicos da Covid-19 como: febre, tosse, dor de garganta, coriza, dor de cabeça, diarreia e perda de olfato e/ou paladar.

 

“Para casos leves e moderados da doença a porta de entrada é a Atenção Primária. Os casos graves orientamos acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-DF) ou ir para a emergência hospitalar”, explica.

 

Todas as sete regiões de Saúde contam com prontos-socorros para Covid nas emergências hospitalares. Além disso, a rede também possui cinco hospitais de campanha, sendo dois em Ceilândia, um no Gama, outro no Autódromo de Brasília e o Hospital de Campanha da PM.

 

Ao todo, a rede possui exclusivamente para Covid-19: 320 leitos de enfermaria para; 452 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI); 135 leitos de unidade de cuidados intermediários (UCI); e 300 leitos de suporte ventilatório pulmonar (LSVP).

 

Ambulatórios Pós-Covid

 

A Covid-19 pode causar várias sequelas em quem teve a doença, entre elas, disfunções respiratórias, principalmente em pessoas que passaram por hospitalização prolongada, com ou sem uso de ventilação mecânica. Por conta disso, a Secretaria de Saúde estruturou serviços específicos para reabilitação pulmonar na rede.

 

Hoje, a rede conta com cinco Ambulatórios de Saúde Funcional (ASF) que ofertam a Reabilitação Pulmonar e eles funcionam nos seguintes locais: Hospital Regional de Taguatinga (HRT); Hospital Regional da Asa Norte (Hran); Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF); Hospital Universitário de Brasília (HUB); e Hospital Regional da Ceilândia (HRC).

 

Para acesso à reabilitação pulmonar o paciente deve procurar uma das unidades que oferecem o serviço com o encaminhamento do pneumologista para agendamento da avaliação.

 

EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA