Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
29/10/21 às 15h17 - Atualizado em 29/10/21 às 16h36

Saúde e Educação lançam aplicativo de monitoramento da covid-19 em estabelecimentos de ensino

Através do Monitora Escola, os diretores lançarão no sistema casos suspeitos, que serão monitorados pela Secretaria de Saúde para evitar possíveis surtos

 

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA

 

Nesta sexta-feira (29) as Secretarias de Saúde e de Educação realizaram uma coletiva de imprensa para lançar o aplicativo Monitora Escola. Trata-se de uma plataforma on-line que possibilitará o monitoramento dos casos de covid-19 na rede de ensino do Distrito Federal. O aplicativo foi desenvolvido pela Subsecretaria de Tecnologia da Informação da Secretaria de Saúde.

 

O objetivo é registrar e monitorar os possíveis casos de Covid-19 em tempo real nas instituições de ensino, tendo em vista que o retorno 100% presencial dos estudantes da rede pública de ensino do DF ocorrerá a partir do dia 3 de novembro.

 

“O aplicativo vai mostrar a situação das escolas, com monitoramento de possíveis surtos para que possamos agir e intervir da melhor maneira para evitar a expansão da doença”, destaca o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache.

 

Coletiva de imprensa que anunciou a ferramenta que será utilizada para monitorar a covid-19 nas escolas – Foto: Sandro Araujo/Agência Saúde-DF

A plataforma digital proporcionará atuação imediata da Subsecretaria de Vigilância à Saúde e o acesso integrado às unidades básicas de saúde.

 

“Vamos aliar educação e saúde. Agora, mais do que nunca existe a necessidade desta união. Os registros no aplicativo serão feitos pelos profissionais habilitados da escola, que irão compartilhar sintomas e possíveis casos. É isso que fará com que um simples surto não se expanda, pois atuaremos da maneira que for necessária”, informa o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

 

O Monitora Escola vai dar suporte a 806 instituições de ensino, 57.684 profissionais de educação e 543.833 estudantes. Com o avanço da vacinação no Distrito Federal, toda a categoria que trabalha na educação encontra-se vacinada. Além disso, estima-se que 81% dos adolescentes de 12 a 17 anos já tomaram a primeira dose e 26% já tomaram a segunda, completando o ciclo vacinal.

 

As UBSs mais próximas das escolas serão referência para cuidar de possíveis casos de covid-19 registrados no aplicativo. Somente os diretores das instituições terão acesso ao aplicativo e poderão lançar as informações, podendo monitorar a situação de sua escola. No âmbito regional, os coordenadores da regional de ensino e por fim, os administradores do aplicativo, pertencentes à Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde. O acesso mais restrito tem a finalidade de gerar dados fidedignos e consistentes.

 

Segundo dados parciais da Secretaria de Saúde, de janeiro até 15 de outubro, as instituições de ensino do Distrito Federal, públicas e privadas, notificaram 1.756 casos confirmados de covid-19, sendo que 790 destes ocorreram em estudantes, 453 em professores e 513 em outros colaboradores.

 

A Vigilância Sanitária tem realizado inspeções para verificação do cumprimento dos protocolos de medidas sanitárias, como distanciamento social, uso de máscaras faciais, atividades em áreas coletivas, alimentação no ambiente escolar, entre outros.

 

A secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, destacou que o retorno 100% presencial envolve aspectos sociais e pedagógicos, além de assegurar aos alunos o direito de aprender com qualidade, pois em três meses de retorno semipresencial, os alunos só compareceram a escola em 36 dias, o que tem prejudicado o desempenho escolar.

 

“A volta de 100% dos estudantes envolve a socialização, saúde mental das crianças e dos adolescentes, bem-estar e até mesmo alimentação, pois têm alguns alunos que têm a merenda escolar como única refeição diária”, afirma.

 

Segundo Hélvia, cada escola terá autonomia para agir e fazer seu controle dos casos confirmados, como já vem ocorrendo. A Portaria Conjunta nº 12, assinada entre as secretarias de Educação e de Saúde, foi publicada nesta sexta-feira (29), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) e prevê como serão as aulas neste retorno, seguindo os protocolos de saúde e de enfrentamento contra a covid-19.