Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/04/18 às 10h09 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Saúde inicia reorganização da atenção secundária

COMPARTILHAR

Reestruturação envolve serviços especializados. Foto: Matheus Oliveira

 

 

Para garantir retaguarda aos pacientes da atenção primária que precisam de serviços especializados, a Secretaria de Saúde iniciou a reorganização da atenção secundária.

 

A reestruturação, prevista pelo Decreto nº 38.982, envolve a rede de serviços de complexidade intermediária, em que o usuário precisa de profissionais focais como neurologistas, pediatras, endocrinologistas e ginecologistas.

 

Enquanto a atenção primária é capaz de resolver até 85% dos casos com médicos da família, enfermeiros, técnicos e agentes de saúde; a atenção secundária deverá se encarregar dos 15% de casos que não conseguem ser resolvidos nas unidades básicas de saúde ou necessitam de apoio para serem resolvidos.

 

Fazem parte da atenção secundária os ambulatórios especializados distribuídos pelos hospitais, policlínicas, Adolescentro, centros de Atenção Psicossocial (Caps), Hospital Dia, Centro Especializado em Diabetes, Obesidade e Hipertensão (Cedoh), entre outros.

 

O diretor de Serviços Ambulatoriais e Integração de Serviços, Bruno Guedes, explica que o decreto cria a Coordenação de Atenção Secundária e Integração de Serviços (Coasis), estrutura da Subsecretaria de Atenção Integral a Saúde (Sais).

 

Trata-se de um nível gestor responsável por articular os serviços entre os níveis de atenção, o que é essencial para alcançar a integralidade do cuidado ao paciente.

 

“A atenção secundária é formada pelos serviços especializados em nível ambulatorial e hospitalar, com densidade tecnológica intermediária entre a atenção primária e a terciária. É o que era conhecido como média complexidade, termo que está caindo em desuso”, explicou Guedes.

 

“Nossa expectativa é aumentar a resolutividade da atenção primária, a resolutividade dos ambulatórios e a satisfação dos usuários. Vamos trabalhar no sentido de melhorar a atenção preventiva, diminuir o número de casos de doenças preveníveis, reduzir as hospitalizações por causas evitáveis e otimizar os recursos”, completou.

 

ENTENDA – No novo modelo de atendimento da rede pública de saúde do DF, o paciente deve procurar prioritariamente a equipe Estratégia Saúde da Família, na Unidade Básica de Saúde.

 

Essas estruturas, que passaram a reservar parte das consultas para quem chega sem marcação, podem solucionar até 85% das demandas dos pacientes.

 

Algumas delas estenderam o horário de atendimento para 7h às 19h e aos sábados, das 7h ao 12h.

 

Quando o quadro clínico do paciente necessitar de assistência complementar, será a equipe Saúde da Família responsável por encaminhá-lo via sistema de regulação para o serviço necessário para tratar a respectiva patologia.

 

Assim, não será preciso que os pacientes migrem entre as diversas unidades de saúde, pois ele será orientado.

 

Ao chegar à atenção secundária, os pacientes serão avaliados por médicos especializados em determinadas patologias ou partes do corpo, que poderão fazer avaliações mais específicas e detalhadas. Nesse nível de atenção, o atendimento é feito apenas com agendamento.

 

TEXTO: Ailane Silva, da Agência Saúde