Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/03/19 às 9h31 - Atualizado em 19/03/19 às 11h33

Saúde inspeciona mais de 197 mil imóveis contra o Aedes

COMPARTILHAR

 

Em 68 dias, um total de 197.561 imóveis foram inspecionados no Distrito Federal à procura de focos do Aedes aegypti. O combate ao mosquito transmissor da dengue e outras arboviroses tem sido intensificado com as ações do SOS DF Saúde.

 

“Consideramos excelente esse quantitativo de imóveis vistoriados. Programamos para os 100 dias de governo fazermos o maior número de visitas possíveis, e já conseguimos, em tempo recorde, chegar a mais de 197 mil imóveis, principalmente nas áreas com mais casos de dengue. Com essas ações, protegemos a população em tempo hábil”, destacou o responsável pela Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), Petrônio Lopes.

 

Do total de locais vistoriados, 8.302 imóveis precisaram ser tratados com larvicidas, 2.075 pontos estratégicos foram inspecionados, 576 escolas foram averiguadas. Auxiliando no combate ao mosquito, oito carros fumacê (Ultra Baixo Volume – UBV) percorreram todo o Distrito Federal, e seis equipes, composta por quatro ou cinco agentes, utilizaram o UBV portátil, com nebulizadores costais, para controle do vetor.

 

Durante as inspeções, as equipes da Vigilância Ambiental também instalaram 202 armadilhas de captura de ovos do mosquito, 118 para larvas e 333 para identificar a presença do mosquito adulto, além das ações de manejo ambiental com coleta de inservíveis em 19 regiões administrativas.

 

Participaram das ações 360 agentes, de órgãos como as secretarias de Saúde e Educação, Agefis, SLU, Novacap, Detran, Emater, Devesa Civil e Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). Além disso, também houve uma mobilização social em feiras, escolas, shoppings e unidades de saúde, feitas por um total de 2.076 pessoas.

 

COMBATE AO AEDES  De acordo com a Vigilância Ambiental, o engajamento da população é fundamental no combate ao mosquito.  A principal forma de se prevenir as doenças transmitidas pelo inseto é manter o monitoramento constante nas residências, sempre buscando evitar água parada.

 

Para evitar a proliferação do mosquito, é necessário manter caixas d’água, tonéis e barris de água tampados, fechar bem os sacos plásticos com lixo, manter garrafas de vidro ou plástico sempre com a boca para baixo e encher os pratinhos ou vasos de planta com areia até a borda. Também é preciso limpar as calhas com frequência, evitando que galhos e folhas impeçam a passagem da água.

 

Em caso de identificação de focos do mosquito, os moradores podem acionar a Vigilância Ambiental pelo telefone 160, para que as equipes intensifiquem o trabalho no local. É possível, ainda, comunicar prováveis focos pelo site Brasília contra o Aedes.

 

Leandro Cipriano, da Agência Saúde

Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

Leia também...