Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/02/14 às 21h59 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde inaugura Programa de Prevenção de Refraturas em idosos no Paranoá

COMPARTILHAR

DF passa a ser 2º federação do Brasil especialista no tratamento

A Saúde lançou, nesta terça-feira (18), o Programa de Prevenção de Refraturas (Previrefrat) em Idosos no Hospital Regional do Paranoá (HRPa). E para atender essa demanda, instalou o aparelho de densitometria óssea para facilitar o diagnóstico de osteoporose. O programa é inédito no Distrito Federal colocando a capital como a segunda federação do Brasil especialista no tratamento de prevenção de fratura em idosos. O pioneiro é o estado do Rio de Janeiro, no Hospital Federal de Ipanema.

A densitometria óssea é o exame mais moderno para o diagnóstico e tratamento da osteoporose e de outras possíveis doenças que possam atingir os ossos. Também é o único método para um diagnóstico seguro da avaliação do grau da doença, capaz de indicar a probabilidade de fraturas e auxiliar no tratamento médico. O HRPa, no entanto, passa a atender os idosos do programa Previrefrat, com a ajuda desta tecnologia.

“Aqui no Hospital do Paranoá nasce o primeiro filho do Previrefrat e será bem cuidado com gente comprometida com a saúde da comunidade e outros estados”, disse Rafael Barbosa, secretário da SES/DF.

Segundo o idealizador e coordenador do Previrefrat, Dr. Bernardo Stonick, a meta é expandir para outros estados brasileiros. “O Previrefrat é uma filosofia. O DF é o primeiro estado a receber, mas até o final do ano queremos expandir mais 25 pólos”, disse.

A estratégia de prevenção de refratura é uma iniciativa altamente eficaz comprovada por inúmeros trabalhos científicos. Essas iniciativas fazem parte da linha de cuidado do idoso, por meio do Programa de Atenção Integral à Saúde do Idoso, desenvolvido pela Coordenação de Saúde do Idoso da Secretaria de Saúde do DF.

Dona Zefinha é presidente da Associação dos idosos do Paranoá há 20 anos e sabe da importância desses programas na rede pública. “Na minha associação temos 80 idosos. Muitos passam por esse problema de sempre está com fraturas e, às vezes, nem sabe que tem a doença. Acho que agora vai ser melhor”, disse a presidente.

Atendimento diferenciado

Atualmente, o HRPa conta com um médico clínico/geriatra para acompanhar o idoso no período da internação, o que evita que apresentem piora do quadro até a cirurgia e também após. Em muitos hospitais particulares é raro ter este tipo de atendimento. “Além desse diferencial, a SES/DF facilitou vagas de UTI dedicadas para o pós operatório de idosos”, afirmou o coordenador da Regional de Planaltina, Rommel Costa.

Em 2013, foram realizadas 211 cirurgias de trauma de coluna vertebral, procedimento de alta complexidade e custo além da gravidade e possibilidade de sequelas incapacitantes, principalmente, quando se leva bastante tempo para operar o paciente que sofreu esse tipo de fratura.

Além disso, outra referência da regional é a cirurgia de mão, uma especialidade de alta complexidade que conta com vários profissionais qualificados.

Por Luana Lemes, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9682-9226

 

Leia também...