Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/03/13 às 22h14 - Atualizado em 30/10/18 às 14h58

Saúde lança Telemedicina em cardiologia no DF

Serviço já funciona em 70 pontos da rede pública

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz anunciou nessa quarta-feira (13) mais um serviço à população do DF, o telemedicina em cardiologia, no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Todos os hospitais, mais os 46 centros e postos de saúde receberão a tecnologia que tem como objetivo descentralizar os exames dos hospitais, diminuindo a fila na área de cardiologia.

Segundo o governador Agnelo Queiroz, o novo serviço conta com 70 pontos na rede pública e a capacidade é de implantar 216 novos pontos. “A telemedicina em cardiologia é um serviço eficiente, em que a população terá o diagnóstico em poucos minutos. Além disso, o serviço também estará disponível nas UPAs, centros de saúde e Samu”, informa o governador.

Cerca de 70 unidades da rede pública de saúde – de um total de 200 – já foram instalados e estão trabalhando com a telemedicina. A capacitação dos profissionais começou em fevereiro. O secretário de Saúde, Rafael Barbosa disse que a implantação desse serviço demorou 12 anos. “Só agora, os clínicos da rede pública vão dispor de maior eficácia e rapidez no diagnóstico. O DF será referência para os demais estados da Federação. Estamos ampliando o serviço de telemedicina e esperamos que até o final de abril os profissionais estejam capacitados e todos os pontos funcionando”, diz Rafael.

Até agora, foram feitos 770 procedimentos de Tele Eletrocardiograma (Tele ECG). A expectativa é de que sejam realizados aproximadamente 20 mil diagnósticos por mês, entre Tele ECG, Tele Holter, Tele Monitoramento Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) e Segunda Opinião, quando todo o sistema estiver implantado.

O Tele ECG será realizado em todos os hospitais e centros de saúde do DF. Os demais exames serão disponibilizados nos hospitais que têm a especialidade de cardiologia, como o Hospital de Base e os hospitais regionais de Taguatinga, Gama e Sobradinho. O contrato firmado em dezembro de 2012 prevê que os exames sejam analisados prontamente por especialistas do Hospital do Coração de São Paulo, via telecomunicação. Os resultados devem ser enviados por telefone ou internet para a equipe de São Paulo e eles enviarão, em poucos minutos, o laudo do paciente.

De acordo com diretor geral do Hospital do Coração (HCOR), Adib Jatene, ex-ministro da Saúde e servidor do HBDF – nos anos 60 – a tecnologia da telemedicina amplia as possibilidades de vida do paciente, com benefícios em que o conhecimento é ampliado e difundido à população por meio dos especialistas que vão analisar os exames e enviar o laudo. “Isso tudo vai facilitar o diagnóstico e tratamento das doenças cardiológicas”, conclui. Jatene.

Exames e serviços

Tele Eletrocardiograma (Tele ECG): possibilita que os sinais elétricos do coração sejam analisados, por meio da fixação de eletrodos no tórax do paciente.
Tele Holter: possibilita o monitoramento da atividade elétrica cardíaca do paciente em suas atividades diárias, durante 24 horas, por meio de eletrodos (fios) fixados em seu peito.

Tele Monitoramento Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA): é um método que possibilita a análise do comportamento da pressão arterial fora do ambiente de consultório médico, durante 24 horas.

Segunda Opinião: é um serviço que possibilita que o profissional de saúde solicite uma segunda opinião, para outro médico especialista em cardiologia. A iniciativa dá uma maior segurança para o profissional realizar o tratamento de pacientes em casos mais complexos.

Júlio Duarte

Foto: Roberto Barroso