Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
13/01/14 às 20h07 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Saúde lança campanha contra hanseníase

COMPARTILHAR

Ações na Rodoviária do Plano Piloto, a partir de quarta-feira

O Ministério da Saúde, em parceria com a Secretaria de Saúde do DF (SES/DF), lançará nesta terça-feira (13), às 10h30, no auditório do Emílio Ribas do Ministério da Saúde, as ações de combate a hanseníase em alusão ao dia mundial de luta contra a doença.

A SES/DF realizará ações a partir de quarta-feira (14) até sábado (17),  na Rodoviária do Plano Piloto. Entre as atividades propostas serão oferecidas orientações sobre a doença, com distribuição de panfletos e coleta de sangue para diagnosticar a doença.

A hanseníase é considerada um dos principais desafios da saúde pública e o diagnóstico precoce é fundamental para a redução da transmissão e do risco de desenvolvimento de incapacidades físicas. O tratamento é um direito de todo indivíduo,  garantido pelo Sistema Único de Saúde.

Hanseníase no DF
O programa de Controle da Hanseníase no DF está descentralizado na rede  da Secretaria de Saúde. Presente na grande maioria dos Centros de Saúde e em alguns hospitais, nas salas de hanseníase  um total de 204 pessoas receberam diagnóstico de hanseníase em 2013. Destes, 146 são residentes no DF e outros 58 residem em outros estados.

No último domingo de janeiro (26) será comemorado o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Hanseníase, data instituída pela Lei nº 12.135/2009. No Distrito Federal, o Núcleo de Dermatologia Sanitária – NDS/DIVEP/SVS é responsável pelas ações de controle e prevenção dessa patologia. Em 2014, no mês de fevereiro, o NDS promoverá mutirão para detecção de novos casos entre catadores de lixo na Estrutura.

A doença – A Hanseníase é uma doença infecto-contagiosa, que ataca os nervos e a pele, podendo ainda afetar outros órgãos como fígado, os testículos e os olhos. A doença tem tratamento e cura, mas com diagnóstico tardio e sem tratamento adequado, pode evoluir para graves deformações em áreas do corpo. Uma pessoa que apresente a forma infectante da doença e que esteja sem tratamento, poderá transmiti-la a outras pessoas com quem tenha contato direto e prolongado.

Assim que o tratamento é iniciado, a doença deixa de ser transmitida. O período de tratamento varia de seis meses a um ano e o paciente pode ficar completamente curado, desde que siga corretamente os cuidados necessários. Buscar o auxílio médico é a melhor forma de evitar a evolução do quadro e a contaminação de outras pessoas.

Alguns sintomas da hanseníase são manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas pelo corpo, diminuição da sensibilidade ao calor, à dor e ao tato, caroços e inchaços pelo corpo.

Por Jozeías Nunes, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226

Leia também...